Recuperação Pós-Parto na Medicina Tradicional Chinesa





 Ler em Português

Read in English


Um cuidado especial com a alimentação, um forte apoio familiar, um descanso regular e possibilidade de manter o equilíbrio emocional, são sempre alguns dos anseios mães pela primeira vez. No entanto, as mulheres nesta fase atravessam várias dificuldades quer físicas quer emocionais e psicológicas, onde todo o apoio nesta fase é crucial. Família, amigos, médicos, e outros especialistas de áreas médicas e psicológicas, apresentam hoje em dia um impacto importante durante uma das mais belas fases da vida de uma mulher: a gravidez, o parto, e o novo ciclo familiar com o novo bebé.

Considera-se pós-parto o período até seis semanas depois do parto, que abrange o puerpério, período que vai desde a expulsão da placenta até seis-oito semanas após o parto com o retorno do corpo da mulher ao seu estado normal.
Durante o puerpério, o corpo da mulher passa por profundas modificações físicas e emocionais para retornar ao estado pré-gravidez. Assim, durante este período, é normal que surjam vários sintomas, geralmente leves e temporários para a mãe, existindo, para tal, acompanhamento médico e de profissionais especializados.

Na Medicina Tradicional Chinesa chama-se Chan Ru ao período pós-parto que comumente conhecemos como puerpério. Chan significa nascimento do bebé e Ru colchão de algodão, indicando a recomendação máxima durante este período que é o repouso absoluto para a mãe.

Maciocia refere que existem várias opiniões médicas, de acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, sobre alguns sintomas que decorrem do período pós-parto, entre os quais: convulsões (hoje em dia raras), invasão de fatores patogénicos externos e obstipação; vómitos, transpiração excessiva, diarreia; esgotamento da rebelião ascendente no Chong Mai em direção ao coração, pulmão e estômago. Assim e ainda de acordo com o mesmo autor, há a salientar que independentemente dos problemas que surjam no pós-parto, o puerpério é caracterizado por duas condições principais: Deficiência de Sangue e/ou Yin ou estase de sangue.

A força necessária para a expulsão do feto compromete o Qi da mulher, o sangue perdido durante o parto compromete o sangue e o Yin, e a expulsão da placenta compromete o Qi original, o Vaso de Conceção e o Vaso maravilhoso Chong Mai ficam esgotados e o sangue e meridianos ficam vazios e propícios a contrair fatores patogénicos externos. Deste modo, uma deficiência de Qi, Sangue, ou Yin, são vistas de imediato como as eventuais condições patológicas das mulheres após o parto, mas é ainda assim necessário determinar se a causa é por excesso ou deficiência ou entrada de fatores patogénicos, como o vento.
A deficiência de sangue ou estase de sangue depois do parto são as duas condições inegáveis das alterações mentais do puerpério podendo causar depressão pós-parto no caso da deficiência de sangue ou psicose no caso da estase.


Diagnóstico em Medicina Tradicional Chinesa

Além do diagnóstico geral, segundo Maciocia, na Medicina Tradicional Chinesa é costume fazerem-se as três questões fundamentais no período pós-parto e sempre que surjam complicações. Estas perguntas são denominadas San Shen e são as seguintes:
1. Existe dor abdominal? – Despista se há ou não coágulos ou muco retido no útero.
2. Tem obstipação? – Se a resposta for afirmativa, indica exaustão extrema dos fluídos
corporais, sangue e yin do corpo.
3. A mãe está a conseguir amamentar ou não tem leite? – Se a resposta for negativa demonstra que existe uma possível fraqueza do Qi do Estômago. Quanto menos leite, mais o Qi do Estômago está lesado.

Depois de colocadas mais questões, é necessário definir se a possível complicação e sintomas associados são por deficiência ou excesso. Macioccia refere haver estas condições evidentes:

- Deficiência de Sangue ou de Yin (condição de deficiência)
- Estase de Sangue (condição de excesso)

O princípio de tratamento para as condições acima descritas são:
▪ Nutrir o sangue, Tonificar o Qi ou Nutrir o Yin (condição de deficiência)
▪ Regular o Sangue e Eliminar a estase (condição de excesso)

Fu Qing Zhu, médico de Medicina Chinesa, (citado por Macioccia) enumera diversos cuidados que a mãe deve ter no período pós-parto:
▪ Deve ter atenção para não usar plantas que dispersem o Qi, apesar de haver a
possibilidade do Qi estar estagnado pois vai agravar a sensação de opressão no peito;
▪ Apesar de haver alguma debilidade no Qi, não se deve usar plantas que dissolvam ou induzam o movimento descendente;
▪ Se houver calor interno, não usar plantas frias para não lesar o Qi, Yin, sangue e o Baço;
▪ Deve ter atenção para nutrir durante todo o período pós-parto e promover um bom balanço entre o repouso e a atividade, a nutrição alimentar, a não exposição a extremo frio ou extremo calor, e evitando situações que criem stress emocional.




Principais sintomas e síndromes no pós-parto

A Medicina Tradicional Chinesa indica vários sintomas decorrentes no período pós-parto. Estes devem ser analisados pelo especialista em MTC para fazer uma correta anamnese, com um diagnóstico e tratamento específico para a condição de cada paciente.
Assim, dos sintomas mais recorrentes destacam-se os seguintes:
▪ Depressão pós-parto
▪ Dor abdominal
▪ Retenção de lóquios
▪ Obstipação e hemorroidas
▪ Dificuldade urinária
▪ Transpiração excessiva
▪ Febre
▪ Dor no joelho
▪ Dificuldade na produção de leite na amamentação e mastite
▪ Excesso de produção de leite
▪ Colapso
▪ Convulsões



Tratamentos em Medicina Tradicional Chinesa para o período pós-parto

A Medicina Tradicional Chinesa tem várias opções de tratamento. Para definir estes tratamentos é necessário fazer-se um interrogatório mais aprofundado a cada caso, pois após um diagnóstico diferencial irá definir-se a orientação terapêutica em MTC, sendo que tanto a prescrição e orientação dietética e farmacológica deve ser feita por um especialista em Medicina Tradicional Chinesa.

Estes são alguns exemplos de tratamentos mais gerais para a recuperação pós-parto, tendo em conta as três condições principais: Deficiência de Sangue e/ou de Yin, e Estagnação de sangue.




Fitoterapia chinesa
Segundo o Dr. Chen (citado por Maciocia), após o parto, é recomendado que a mulher tome combinações de plantas para nutrir e revigorar o sangue e que eliminem a estagnação de sangue, esta que está associada à retenção de sangue no útero ou retenção de substâncias como muco, coágulos e tecidos que vão sendo eliminados no período pós-parto durante 5-6 semanas. O seguinte conjunto de plantas é indicado para tratar e aliviar os sintomas associados às patologias acima citadas:

▪ Dang Gui (Radix Angelicae sinensis)
▪ Chuan Xiong (Radix Ligustici Chuanxiong)
▪ Shu Di Huang (Radix Rehmanniae glutinosae preparata)
▪ Rou Gui (Cortex Cinnamomon cassiae)
▪ Bai Zhi (Radix Angelicae Dehuricae)
▪ Shan Zha (Fructus Crataegi)
▪ Wu Yao (Radix Linderae)
▪ Jie Geng (Radix Platycody grandiflori)
▪ Gan Jiang (Rhizoma zimgiberis officinalis)
▪ Gan Cao (Radix Glycyrrhizae Uralensis)
▪ Chuan Niu Xi (Radix Cyathulae)
▪ Wu Ling Zhi (Excrementum tropopteri)

Dietética em Medicina Tradicional Chinesa
Para um quadro geral de Deficiência de Sangue ou Vazio de Yin pós-parto aconselham-se alimentos de sabor doce e ácido, de natureza neutra ou morna. Alguns exemplos são:
▪ Cereais: arroz integral, millet, trigo sarraceno
▪ Leguminosas: feijão azuki, lentilhas, feijão preto, feijão frade
▪ Sementes: sésamo negro
▪ Vegetais: castanhas, cenoura, beterraba, rábano, nabiças, abóbora, endívias, urtigas, espinafres
▪ Frutas: ameixa, mirtilos, morangos, amoras, framboesas, romã, lichias
▪ Proteína animal: polvo, chocos, caranguejo, gema de ovo, vaca, tutano de ossos de galinha biológica
A evitar: alimentos picantes, gordurosos ou fritos

Para um quadro de excesso, em casos de Estagnação de sangue, são recomendados alimentos de sabor doce, amargo, ácido e ligeiramente picantes como ervas aromáticas, a natureza deverá ser de neutra a fresca. Alguns exemplos são:
▪ Cereais: centeio, cevada, trigo sarraceno, chicória
▪ Leguminosas: feijão azuki, lentilhas, feijão preto, feijão frade, germinados
▪ Sementes e ervas aromáticas: sementes de sésamo negro, orégãos, tomilho, salsa, gengibre fresco
▪ Vegetais: aipo, nabo, rabanete, agrião, grelos, acelgas, cenoura, rábano, nabiças, espinafres, espargos
▪ Frutas: pêssego, uvas, groselha, ameixa, framboesa
▪ Proteína animal: polvo, chocos, caranguejo, gema de ovo, vaca, tutano de ossos de galinha biológica
▪ Chás: menta, angélica sinensis (tonifica e move o sangue), funcho (se com a
estagnação de sangue houver dilatação abdominal)
A evitar: álcool, excesso de alimentos ácidos, picantes, natureza quente, açúcar branco e gorduras.

Exemplo de refeição pós-parto num quadro geral de Vazio de Sangue:
▪ Sumo de beterraba e cenoura
▪ Sopa de feijão azuki com espinafres, algas kombu e abóbora
▪ Estufado de vaca com beringela e acelgas ou batata doce
▪ Frutos vermelhos com sementes de sésamos negro

Existem várias outras formas de se poder acompanhar o processo da mulher no períodopós-parto. Além do acompanhamento e vigilância pelo médico de saúde e outros profissionais especializados, há outros complementos que podem proporcionar à nova mãe um maior apoio tanto a nível de recuperação física como psicológica e emocional. Existem várias formas de apoio à mãe, por exemplo através de aulas específicas com exercícios de ginástica ou yoga para o período pós-parto, exercícios respiratórios, aconselhamento sobre uma alimentação mais cuidada e específica para a mulher nesta fase, entre outras possibilidades de acompanhamento como psicoterapia, caso se sinta essa necessidade.
Há a salientar duas áreas fundamentais para o tratamento da mulher nesta fase, uma é a suplementação com plantas de matéria médica ocidental e outra, a prática de exercícios físicos específicos que ajudam a recuperação no pós-parto.

1. Matéria médica ocidental
Durante a amamentação - “mama mix” para aumentar a produção de leite materno e fortalecer a mãe:
▪ 1 parte de Cardo mariano (Silybum marianum)
▪ 1 parte de sementes de Feno-grego(Trigonella foenum-graecum)
▪ ½ parte de flores de Lúpulo (Humulus lupulus)
▪ 2 partes de sementes de Funcho
▪ 1 parte de folhas de Urtiga
▪ 1 parte de folhas de Framboeseira
▪ 1 parte de flores de Camomila

Tomar no pós-parto para regular o útero:
▪ 1 parte de Cardo mariano (Silybum marianum)
▪ 1 parte de sementes de Feno-grego (Trigonella foenum-graecum)
▪ ½ parte de flores de Lúpulo (Humulus lupulus)
▪ 2 partes de sementes de Funcho
▪ 1 parte de folhas de Urtiga
▪ 1 parte de folhas de Framboeseira
▪ 1 parte de flores de Camomila


Outras sugestões para o pós-parto quando existe predisposição para anemia ou
ou para simples complementação de apoio nutricional à mãe no período pós-parto são:

Fórmula Floradix
É especialmente indicado para carências nutricionais a nível do ferro, sendo que deficiência deste mineral é uma das carências alimentares mais comuns, o que inclui sintomas como fadiga e falta de energia, diminuição da capacidade de concentração, diminuição da resistência durante o exercício, aumento da frequência de infeção, palidez, olheiras, cabelo e unhas frágeis, mãos e pés frios.
A deficiência de ferro, pré-anemia e anemia, estão também ligados à depressão, diminuição da fertilidade e complicações na gravidez. Como o Floradix existe em fórmula líquida e não precisa de se dissolver, 98% do ferro III fica disponível para uma potencial absorção rápida, possuindo a taxa possível de absorção de ferro até 25%, sendo absorvido para uma potencial utilização.

2. Exercícios recomendados
Com a gravidez, a postura da mulher é submetida a grandes mudanças, devido ao centro de gravidade do corpo se deslocar gradativamente para a frente. É fundamental reajustar o corpo e recuperar o equilíbrio o mais rápido possível depois do nascimento do bebé para evitar que a postura de gravidez não seja adotada definitivamente.
Os músculos abdominais alongados e enfraquecidos dão pouco apoio à coluna e
os efeitos tardios da hormona relaxina prolongam o risco de lesão das articulações, principalmente da pelve e coluna. Além disso, o tamanho dos seios pode fazer com que a parte superior das costas se projete para a frente, aumentando assim a pressão sobre o tórax. Alguns dos exercícios que se podem fazer são muito simples e podem ser recomendados pelo especialista.





Relativamente aos tratamentos, é cada vez mais comum as mães recorrerem a plantas e a alimentos nutricionais que vão ao encontro das suas necessidades durante todo o período pós-parto. A Medicina Tradicional Chinesa vai um pouco mais longe no diagnóstico diferencial, podendo o especialista adequar a alimentação e prescrever algo mais que considere adequado a cada mulher, não só da situação no pós-parto mas também da constituição, condição energética e emocional da mulher.
É, portanto, de valor, entender que a medicina tradicional chinesa pode contribuir em grande parte para apoiar as mães durante todo o processo pós-parto, principalmente se falamos na existência de tantas alterações físicas mas também emocionais e , cuja acupunctura, massagem, exercícios específicos, dieta apropriada podem conseguir corresponder com grande eficácia.

Conciliar as duas medicinas tentando compreender as falhas numa e as potencialidades de resposta de outra é uma das melhores opções principalmente se o objetivo comum é ajudar, facilitar e promover o melhor acompanhamento das mulheres durante todo o processo de dar à luz e da recuperação do parto.
É certo que a medicina tradicional chinesa aufere de áreas de atuação que a medicina convencional não dispõe, e essa mais valia deve ser observada com apreço já que envolve uma compreensão sobre a influência emocional e psicológica que pode advir de causas bem mais anteriores ao momento pós-parto, daí uma observação diferencial e holística faz toda a diferença, tanto para as novas mães como para qualquer ser humano.

Assim, um momento que parece simples e cheio de alegrias como o período pós-parto, pode ter várias realidades de acordo com a história de cada mulher, o seu estado emocional, a sua condição física, idade, o seu meio envolvente e cultural, cabendo tanto à mãe como à família estarem atentos e disponíveis a ajudar nesta fase. Se houver acompanhamento em MTC, é certo que deverá ser necessário fazer-se um interrogatório mais aprofundado a cada caso para se definir a orientação terapêutica em MTC mais adequada.


Fontes:

- MACIOCIA G. (1990); Obstetrics & Gynecology in Chinese Medicine
- MACKIN D. – Retomar a forma depois da gravidez; DK
- Informações Floradix: http://energiaemequilibrio.com/blog/novosprodutos/
floradix-suplemento-natural-de-ferro-organico-para-tratamento-deanemias

Imagens:


https://www.flavioquinalha.com.br/as-4-piores-complicacoes-pos-parto/
https://cgicm.ca/what-we-treat/postpartum/
https://cgicm.ca/courses/why-study/

Artigo escrito e traduzido por Constança Castro baseado no trabalho de Sara Eusébio para a Cadeira de Ginecologia e Andrologia do 5º Ano (2016/2017) da ESMTC. Editado por Jorge Ribeiro