Infecções sexualmente transmissíveis

As ISTs, também conhecidas por doenças venéreas, são um conjunto de doenças infecciosas transmitidas  essencialmente por contacto sexual.


Estão actualmente entre as doenças infecciosas mais comuns no mundo.
Existem mais de 30 agentes infecciosos responsáveis por ISTs e cerca de 448 milhões de novos casos de contágio são relatados todos os anos (OMS, 2011).
Dependendo da doença, as ISTs podem ser transmitidas mediante todos os tipo de actividade sexual.
Muitas ISTs podem ser transmitidas de mãe para filho antes, durante ou imediatamente ao parto.

Estas infecções são causadas por diferentes tipos de organismos, sendo que entre as mais comuns se encontram:

ISTs causadas por bactérias:
- Doença inflamatória pélvica
- Uretrite não gonocócicas
- Cancróide ou Cancro Mole (Haemophilus ducreyi);
- Clamídia (Chamydia trachomatis);
- Gonorreia ou Blenorragia (Neisseria gonorrhea);
- Granuloma Inguinal (Calymmatobacterium granulomatis, Klebsiella granulomatis);
- Sífilis (Treponema pallidum)


ISTs causadas por vírus:
- Herpes Genital (herpes simplex virus);
- Condiloma Acuminado (Vírus do Papiloma Humano – VPH);
- Hepatite B; VIH/SIDA (Vírus da Imunodeficiência Humana);
- Vírus do Molusco (Molluscum contagiosum)

ISTs causadas por protozoários:
- Tricomoníase Genital (Trichomonas vaginalis)


ISTs causadas por fungos:
- Candidíase (Candida albicans)


ISTs causadas por parasitas:
- Pediculose do Púbis (Pthirus pubis)


A maioria das ISTs tem como alvo principal os órgãos sexuais e a área imediatamente circundante.

Assim, alterações cutâneas, morfológicas, fisiológicas ou sensitivas destas áreas podem servir de aviso:
·      Mudança súbita de cor ou textura da pele;
·      Aparecimento de lesões cutâneas (pápulas, feridas, ulcerações, nódulos, tumefacções, etc.);
·      Prurido intenso, dor, ardor ou desconforto na zona genital;
·      Secreções anormais com cor alterada e de cheiro intenso que escoam da vagina ou da uretra;
·      Presença de sangue na urina e/ou nas fezes;
·      Dor pélvica, no baixo-ventre, ao urinar, ao defecar, ao ter relação sexual;
·      Parasitas visíveis na região púbica e circundante.


Apesar de alguns sinais serem facilmente identificáveis, como os enumerados acima, há que relembrar que muitas das ISTs podem permanecer assintomáticas, tornando o paciente num portador e transmissor de alto risco.

Assim, é de aconselhar a todos os pacientes sexualmente activos a realização de exames laboratoriais anuais. Se o paciente tem comportamentos de risco, como manter relação com vários parceiros sexuais, trabalhar em profissões relacionadas ao sexo, ser dependente de substâncias injectáveis ou pessoas que têm relações sem protecção, a realização dos exames deverá ser de 6 em 6 meses, no mínimo.
Como precaução, a lavagem cuidada das mãos e área genital reduz significativamente o risco de transmissão de muitas ISTs, tal como o uso de preservativo durante sexo vaginal, anal ou oral.


Infecções Sexualmente Transmissíveis causadas por bactérias:

As ISTs são frequentemente causadas por bactérias. Como o método de transmissão das ISTs é semelhante em todas elas, geralmente um indivíduo é infectado por mais do que um microorganismo patogénico durante o mesmo contacto sexual.
Por exemplo, cerca de 50% das pessoas que contraem Gonorreia, também são infectadas por Clamídia.
A lista que se segue enumera as ISTs mais comuns, a sua causa, e outras infecções que podem ser transmitidas na ocasião do contacto sexual que não são consideradas ISTs primárias por muitos investigadores.


Doença inflamatória pélvica
Causada por várias bactérias que atingme os órgãos sexuais internos da mulher causando inflamação dos mesmos.
Principais Sinais e Sintomas: Dor  e desconforto no baixo ventre, secreção vaginal, dor durante o acto sexual, febre, fadiga, dor nas costas e vómitos.
A maioria ocorre em mulheres que têm outra IST, ou após procedimento médico local, como por exemplo, a inserção do DIU.


Uretrite não gonocócicas
Causada por alguns tipos de bactérias.
Principais Sinais e Sintomas: Corrimento na ponta do pénis semelhante ao da Gonorreia, este pode ser suave e desparecer após alguns dias sem tratamento, dor ou comichao na zona do pénis, sensação de ardor ou dor a urinar. 50% dos homens não têm sintomas.

Cancróide ou Cancro Mole
(Haemophilus ducreyi) - período de incubação de 2 a 5 dias
Principais Sinais e Sintomas: Lesões dolorosas ou não (úlceras e feridas) com fundo branco ou amarelo purulento e fétido, bordas irregulares, consistência mole e cor avermelhada, com inchaço.  Em geral as lesões apresentam-se nos órgãos sexuais externos, mas podem localizar-se no ânus e, raramente, na garganta, língua, boca e lábios. As feridas do cancro mole podem ser múltiplas, são auto-contagiantes e bastante contagiosas, basta existir feridas causadas pelo atrito do acto sexual para haver contágio.
Quando a região da virilha é acometida, há dor ao abrir as pernas.

Clamídia
(Chamydia trachomatis) - período de Incubação de 14 a 21 dias
Principais Sinais e Sintomas: Caracteriza-se por corrimento ou secreção translúcida (como clara de ovo) não abundante nos órgãos genitais e/ ou olhos. São comuns sintomas como ardor e dor na uretra ou vagina. O não tratamento da infecção pode resultar em consequências graves como gravidez ectópica, infertilidade e doença inflamatória pélvica. Muitas pessoas infectadas não apresentam qualquer sinal ou sintoma, mas transmitem a infecção a seus parceiros e as mulheres ao recém-nascido. Frequentemente a infecção atinge a vagina, o pénis, o colo do útero, o sistema urinário, o recto, os olhos e a boca.

Gonorreia ou Blenorragia
(Neisseria gonorrhea) período de Incubação de 10 dias
Principais Sinais e Sintomas: Nas mulheres a infecção geralmente instala-se no colo do útero, de onde é percebida uma secreção branca, amarela ou menos frequente, transparente, de odor fétido. Propaga-se ao útero, trompas de Falópio, ovários e recto. Quando a infecção está na uretra, a mulher sente ardor ao urinar e intensa secreção purulenta que sai espontaneamente. Se a infecção avançar para a bexiga, é possível que ocorra cistite e sangue na urina. São possíveis dores pélvicas intensas e dor durante à relação sexual. Nos homens, a infecção geralmente se instala na uretra, de onde é expelida espontaneamente uma secreção branca, amarela ou transparente, de odor fétido. Há maior necessidade de urinar, ardor e dor na glande. Há casos em que a gonorreia é acompanhada por lesões em torno do órgão genital. O orifício uretral torna-se inchado e avermelhado. No recto existe libertação de pús, dor, espasmos e comichão no recto. Na faringe a infecção tende a desaparecer sem necessidade de tratamento até 3 meses.
Os recém nascidos podem ser infectados à nascença com possíveis danos oculares.

Granuloma Inguinal
(Calymmatobacterium granulomatis, Klebsiella granulomatis) de 3 dias a 6 meses.
Principais Sinais e Sintomas: Em geral, surge um primeiro nódulo vermelho e indolor que aumenta progressivamente até formar a ulceração. A lesão pode espalhar-se a outras áreas do organismo. O interior da lesão é mole, vermelho e exala um odor fétido, sangrando com facilidade. Nos homens as lesões têm maior incidência no prepúcio e na glande do pénis, no orifício da uretra, no escroto e na região inguinal (virilha). Nas mulheres, as lesões têm maior incidência na vulva, na vagina, no colo do útero e na púbis. Em homens e mulheres, as lesões podem se apresentar na face, na mucosa oral, no ânus e nas nádegas.

Sífilis (Treponema pallidum) período de Incubação de 1 semana a 3 meses
Sinais e Sintomas: Após o período de incubação, em média de 21 dias, surge uma lesão ou úlcera arroxeada chamada cancro, com base endurecida, fundo liso e brilhante, não dolorosa. É mais comum nos órgãos genitais, mas pode aparecer noutros locais do corpo, como na língua, nos lábios, no recto, no ânus, na garganta, nos dedos, nos olhos e praticamente em qualquer lugar da pele. Os gânglios linfáticos podem inchar, sobretudo na virilha e no pescoço. Eventualmente os sintomas desaparecem nesta etapa, mas a bactéria continua no organismo. Pode ser transmitida durante o parto


Infecções Sexualmente Transmissíveis causadas por vírus:

Homens e mulheres de todas as idades, etnias e estratos sociais podem ser afectados pelas ISTs. Tem-se notado um aumento de casos de ISTs nos anos mais recentes. Isto é facto parcialmente porque as pessoas estão a tornar-se sexualmente activas cada vez mais novas, porque têm múltiplos parceiros sexuais e porque não usam métodos preventivos que baixam drasticamente a probabilidade de adquirirem uma IST. Frequentemente a IST pode estar presente sem causar sintomas, especialmente em mulheres (por exemplo, Clamídia, Herpes Genital ou Gonorreia).
Os problemas de saúde e as consequências a longo termo das ISTs são tendencialmente mais severas nas mulheres do que nos homens.

O uso de preservativo é sempre recomendado como método de prevenção e suspeita de contaminação deverá ser resolvida consultando um médico.

Os Vírus são uma das principais causas destas infecções. Seguem-se alguns exemplos:

Herpes Genital
(herpes simplex virus)
Principais Sinais e Sintomas: A primeira manifestação da virose geralmente é a mais grave e dolorosa. A pessoa pode ter febre, dores de cabeça e gânglios inchados. Há ardor, prurido e aumento da sensibilidade no local onde se está a formar uma úlcera. Em algumas horas surgem erupções na pele que aumentam gradativamente de tamanho e há secreção em seu interior. Comummente após 1 dia a erupção rebenta e forma uma crosta, sendo um processo bastante doloroso. Quando não há tratamento, a dor continua por aproximadamente 10 dias e a pele retorna ao aspecto normal somente em 14 dias. O fluido da úlcera, se passa para os olhos, por contacto, pode causar danos permanentes na córnea.

Condiloma Acuminado
(Vírus do Papiloma Humano – VPH)
Principais Sinais e Sintomas:
Uma pessoa pode estar infectada pelo vírus e não apresentar sinais da doença.
Já outras, ao serem infectadas, desenvolvem uma verruga com superfície granulosa que tende a se multiplicar ou desaparecer (mas pode reaparecer). As verrugas são auto-contagiantes, de modo que o contanto de uma verruga com outra região do próprio corpo (ou do parceiro) faz com que se multiplique. Alguns condilomas quando não tratados podem ter grandes dimensões, comprometendo a micção e a defecação. É possível haver ardor, prurido e sangramento.

Hepatite B
Principais Sinais e Sintomas:
Alterações do olfacto e paladar, falta de apetite, náuseas, vómitos, cansaço, mal-estar, artralgia, dor abdominal, cefaleia, febre baixa, inflamação no fígado, pele ou olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Após 15 dias aproximadamente os sintomas tendem a diminuir e após 6 a 8 semanas podem desaparecer. A modalidade aguda da doença é fulminante e registra uma mortalidade em 60% dos casos.


VIH/SIDA
(Vírus da Imunodeficiência Humana)
É um conjunto de sintomas e sinais que não dizem respeito apenas a uma doença, é uma síndrome de imunodeficiência porque o vírus deixa o sistema imunológico deficiente. O doente infectado pelo VIH vai ficando progressivamente fragilizado e pode contrair várias doenças que o podem conduzir à morte. Estas doenças são designadas por “oportunistas”, uma vez que, por norma, não atacam as pessoas com um sistema imunitário saudável. O VIH é um vírus bastante poderoso que, ao entrar no organismo, dirige-se ao sistema sanguíneo, onde começa de imediato a replicar-se, atacando o sistema imunitário destruindo células específicas defensoras do organismo, os Linfócitos T4 ou CD4. Quando entra no organismo, pode aí permanecer “silencioso” ou “escondido” durante meses ou anos e ir fazendo estragos no sistema imunitário. Contudo, o VIH não é estável e não sobrevive muito tempo fora do sangue e do corpo humano.

Vírus do Molusco
(Molluscum contagiosum)
Principais Sinais e Sintomas:
Em cada ponto do corpo por onde penetram os vírus forma-se uma pápula, ou seja, uma elevação circunscrita da pele. O período de incubação, ou seja, o período de tempo que uma pápula necessita para se formar após o contágio, varia entre as duas e as seis semanas. As pápulas originadas pelo molusco contagioso são muito típicas, já que são elevações cutâneas redondas, brilhantes e com a mesma cor da pele, medindo normalmente entre 2 a 10 mm de diâmetro, constituídas por um poro central que, caso seja pressionado nas extremidades, emana uma secreção branca semi-sólida de aspecto semelhante ao leite coalhado. Para além disso, não provocam ardor nem dor. O vírus pode ser transmitido apenas por contacto de pele com pele.


Infecções Sexualmente Transmissíveis causadas por
protozoários, fungos e parasitas:

A lista que se segue enumera as ISTs consideradas, por alguns autores, as mais comuns causadas por protozoários, fungos e parasitas. Existem no entanto outras infecções que podem ser transmitidas por via de contacto sexual, mesmo que esta não seja a sua via primária de transmissão. A luta constante para travar a disseminação deste tipo de infecções continua a nível mundial. Infelizmente e ao contrário do que seria previsto, estas infecções continuam a proliferar e a afectar cada vez mais pessoas em todo o mundo e, acredite-se cada vez mais os jovens.


Protozoários:

Tricomoníase Genital
(Trichomonas vaginalis)
Principais Sinais e Sintomas: Os homens não apresentam sintomas e não sabem que estão infectados. Muito raramente há manifestação de irritação no pénis, dor e ardor ao urinar. Nas mulheres é uma das principais causas de vaginite, vulvoginite e cervicite, há secreção vaginal abundante, semelhante a espuma, de cor creme ou esverdeada. Geralmente o odor é fétido. Há prurido e irritação na vulva e no períneo, dor pélvica em algumas situações, dificuldade de urinar e mucosas vulvares avermelhadas.


Fungos:

Candidíase
(Candida albicans)
Principais Sinais e Sintomas: O fungo Cândida faz parte da nossa flora corporal, quando o seu desenvolvimento ´r anormal pode causar infecções. Existe prurido intenso, dor na penetração durante a relação sexual, ardor durante a micção, fissuras na pele, corrimento vaginal semelhante à nata do leite, e vagina e colo do útero cobertos por placas brancas ou branco acinzentado. Na mulher a vulva e a vagina ficam inchadas e avermelhadas, e as lesões podem atingir o períneo e a região inguinal. Durante a menstruação e na relação sexual os sintomas se intensificam. No homem a glande e o prepúcio ficam avermelhados e surgem pequenas lesões avermelhadas e pruriginosas.


Parasitas:

Pediculose do Púbis
(Pthirus pubis)
Principais Sinais e Sintomas:
Também conhecida por Ftiríase ou popularmente por "chato". É uma Ectoparasitose da classe dos piolhos que infesta a parte externa da região púbica, pêlos do ânus, coxas e do baixo abdómen; eventualmente pode atingir as axilas e a barba. Aparecem em 1 a 2 semanas após a exposição ao parasita. Há prurido intenso na região genital. Podem ser observados pequenos pontos na pele feitos pelos piolhos para se alimentar.
Pode ser transmitida apenas por partilha de roupa ou cama.

Escabiose
(Sarcoptes scabiei na variedade hominies)
Principais Sinais e Sintomas:
Originada por um ácaro que penetra na pele e ai deposita o seus ovos. Existem picadas na pele ou sulcos que contêm os ácaros e seus ovos, comichão normalmente mais intensa ao entardecer e amanhecer.
Pode ser transmitida apenas por partilha de roupa ou cama.

É imperativo que todos os técnicos de saúde, terapeutas e mesmo outros técnicos que lidam diariamente com pessoas a um nível, digamos, mais íntimo e confidencial, estejam preparados para reconhecer, informar, aconselhar e apoiar as pessoas no que diz respeito a estas doenças de índole infecto-contagiosa e não só as sexualmente transmissíveis.

O uso de preservativo e uma rigorosa higiene íntima diária são imprescindíveis para a prevenção destas infecções. O diagnóstico final e comprovativo das ISTs é na maior parte dos casos feito apenas mediante testes laboratoriais ao sangue, urina e outros tecidos do organismo.
Infecções Sexualmente Transmissíveis à luz da MTC:

A maioria das ISTs tem como alvo principal os órgãos sexuais e a área imediatamente circundante. Assim, alterações cutâneas, morfológicas, fisiológicas ou sensitivas destas áreas podem servir de aviso: Mudança súbita de cor ou textura da pele; Aparecimento de lesões cutâneas como pápulas, feridas, ulcerações, nódulos, tumefacções, etc.; Prurido intenso, dor, ardor ou desconforto na zona genital; Secreções anormais com cor alterada e de cheiro intenso que escoam da vagina ou da uretra; Presença de sangue na urina e/ou nas fezes; Dor pélvica, no baixo-ventre, ao urinar, ao defecar, ao ter relação sexual; Parasitas visíveis na região púbica e circundante.
A Medicina Tradicional Chinesa atribui a causa das ISTs aos factores patológicos externos, o Vento, o Frio, a Humidade, o Calor, a Secura, e o Fogo. Além dos factores externos a força do Qi Correcto é fundamental, pois permitirá ou não a entrada dos factores externos no organismo. Algumas destas doenças foram já vistas à luz da MTC e existem padrões de desarmonia reconhecidos e bem estudados. De qualquer forma, o método de diagnóstico diferencial da MTC permite-nos, quando bem realizado, chegar sempre a um diagnóstico, consequente diferenciação de síndromes, princípios terapêuticos e a um correcto tratamento da desarmonia do paciente.
Padrões de desarmonia atribuídos a algumas das ISTs acima discutidas.

Gonorreia
Principais síndromes associadas:
Invasão do Aquecedor Inferior por Humidade-Calor; Excesso de Calor no Coração; Deficiência do Baço com acúmulo de Humidade; Estagnação de Qi e Sangue no Aquecedor Inferior; Deficiência da Essência; Deficiência de Yang; Calor-Humidade do Fígado e Vesícula Biliar, Invasão por Calor-Humidade tóxicos.

Sífilis
Principais síndromes associadas:
Estágio I da doença: Calor-Tóxico que invade o Pulmão e o Baço-Pâncreas; Calor-Humidade a obstruir o meridiano do Fígado;
Estágio II da doença: Calor-Tóxico no Sangue; Calor Tóxico nos Tendões e Ossos; Estágio III da Doença: Deficiência de Yin do Rim e Fígado (3º estágio); Deficiência de Yang do Rim e do Coração.

Condiloma Acuminado (Vírus do Papiloma Humano – VPH)
Principais síndromes associadas:
Humidade Calor no Aquecedor Inferior; Deficiência de Yin com estagnação do túrbido; Deficiência do Qi do Baço-Pâncreas.

Herpes Genital (Herpes simplex)
Principais síndromes associadas:
Estágio inicial da infecção: Invasão externa por Humidade-Calor Tóxico no Aquecedor Inferior;
Surtos subsequentes:
Calor-Interno latente, despoletado por deficiência do Qi Correcto e/ou por Humidade-Calor do interior, Deficiência de Yin do Fígado e Rim.

Candidiase (candida albicans)
O tratamento em MTC é feito em duas fases, a primeira de Limpeza e a segunda de tonificação.
Principais síndromes associadas:
Na primeira fase limpa-se o organismo da Humidade, Fleuma e Calor, na segunda fase Qi, Sangue, Yin e Aquecedor Inferior.

Sida (Síndrome da Imunodeficiência adquirida)
A eliminação de toxinas e tonificação do sistema defensivo são os dois principais princípios terapêuticos utilizados.
Principais síndromes associadas:
Fase aguda manifesta-se por Calor Tóxico e a Fase crónica manifesta-se por uma síndrome de Deficiência crónica.

Estes foram alguns exemplos de como os padrões nas ISTs podem variar, desde invasões externas, a deficiências internas que podem viabilizar as invasões externas e desenvolver padrões que se identificam com as ISTs.

A grande vantagem da MTC é a de que o seu método de diagnóstico permite ao especialista diagnosticar e diferenciar a doença e a síndrome. Mesmo que não haja conhecimento prévio de como a doença de manifesta ou se desenvolve, o especialista de MTC consegue sempre a diferenciação da síndrome ou síndromes, o que lhe permite construir não só um princípio de tratamento mas também, uma estratégia de tratamento do paciente, prevendo os possíveis desenvolvimentos da doença.



Trabalho compilado por Catarina Marques Ramos a partir do artigode João Soares e dos trabalhos de Rita Nunes, Rui Rodrigues e Joana Almeida para a Disciplina de Ginecologia e Andrologia da ESMTC.


Mais informações aqui.

Teste de VIH/SIDA em Lisboa
Em Lisboa, na Lapa, existe um Centro de Rastreio Anónimo com teste gratuito
(Tel:21 393 01 51)

Consulta de Doenças Sexualmente Transmissíveis (Lisboa)
Centro de Saúde da Lapa - R. de S. Ciro, 36


Dismenorreia

A palavra dismenorreia, de origem grega, significa menstruação difícil.

Dismenorreia ou dor menstrual, refere-se a dor ou outro desconforto principalmente na zona do baixo abdómen, mas podendo também incluir a zona lombar, sacro, anca e coxas, quer ocorra antes, durante ou depois do período menstrual, e que ocorra sempre periodicamente com o ciclo menstrual.

Tanto a Medicina Ocidental (MO) como a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) diferenciam a dismenorreia.


A MO designa como dismenorreia primária as dores menstruais comuns, que surgem como uma consequência de fenómenos naturais, fisiológicos, associados à menstruação.
Esta começa geralmente, na menarca, com o início dos ciclos ovulatórios e não é associada a nenhuma desordem orgânica. É provocada por aumento na produção de prostaglandina pela camada que reveste o útero: endométrio.
A prostaglandina é uma substância hormonal produzida a partir do estímulo da progesterona, a hormona que predomina na segunda fase do ciclo reprodutivo feminino, depois da ovulação.
O excesso de prostaglandina durante o período menstrual provoca fortes contracções do útero, que é um músculo. 
Ao contrair-se, o útero pressiona os vasos sanguíneos à sua volta, dificultando o fornecimento de oxigénio aos tecidos.
A dor é resultado da falta de oxigénio no útero.
O excesso de prostaglandina afeta outros órgãos e é por isso que a cólica menstrual é frequentemente acompanhada de outros sintomas como dor de cabeça, dor lombar, náusea e vómito, tontura e diarreia.
A queixa mais comum da dismenorreia primária é dor na parte inferior do abdómen, de natureza cólica e com irradiação para a parte inferior das costas.

A dismenorreia secundária, pode surgir em qualquer período da vida da mulher em idade fértil e pode estar associada a doenças orgânicas, em geral, ou associada a algum distúrbio nos órgãos reprodutores femininos, tais como ovários, anexos uterinos ou o próprio útero, podendo originar o aparecimento de um problema de saúde na mulher (endometriose, mioma uterino, doença inflamatória pélvica, etc.).


Medicina Ocidental

O tratamento da MO para dismenorreia primária e secundária consiste em:
  • Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides, como por exemplo o Ibuprofeno, Paracetamol ou Ácido acetil salicílico, que atuam bloqueando a produção de prostaglandinas tendo efeito contra a dor e a inflamação;
  • Medicamentos antiespasmódicos, como o Atroveran ou o Buscopan, por exemplo, para diminuir as cólicas menstruais;
  • Pílulas anticoncepcionais hormonais, em alguns casos. 

Medicina Tradicional Chinesa


Importância do Qi e Sangue do Fígado na menstruação

Para que a menstruação ocorra normalmente, o Sangue do Fígado deve ser abundante e este deve mover-se adequadamente.
Uma boa circulação de sangue depende de um livre fluir do Qi do Fígado e do Qi do Chong Mai (também conhecido por Vaso penetrante, um dos oito vasos extraordinários).

Na fase pré-menstrual, o Yang sobe e o Qi do Fígado move-se, em preparação para a movimentação do Sangue.
Assim, uma circulação apropriada do Qi e Sangue do Fígado são essenciais para uma menstruação indolor.
Se o Qi do Fígado estagnar pode causar dor, especialmente antes da menstruação, enquanto a estase de Sangue do Fígado pode causar dor durante a menstruação.
A estagnação é o principal factor patológico presente em menstruações dolorosas e mesmo em condições de deficiência, em que a dor é ligeira, há uma componente de estagnação envolvida.

Em alguns casos, a estagnação de Qi do Fígado pode transformar-se em Fogo do Fígado e este, por sua vez em Calor no Sangue, que se combina frequentemente com Humidade-Calor no útero; noutros, a estagnação de Qi pode ser resultado de invasão de frio no útero.

Importância dos factores emocionais

A tensão emocional é um dos factores etiológicos a considerar na dismenorreia. A raiva, frustração, ressentimento, preocupação e a culpa podem levar à estagnação de Qi do Fígado. Esta, por sua vez provoca estase de Sangue no útero levando a menstruações dolorosas.


Invasão externa de Frio e Humidade

Uma exposição excessiva ao Frio e à Humidade, especialmente durante a puberdade, pode permitir uma invasão de Frio no útero.
O Frio contrai e causa estase de Sangue no útero, causando dor. Esta é a causa mais frequente de dismenorreia na adolescencia.

Na idade adulta, as mulheres devem precaver-se contra o a invasão de Frio e Humidade durante a menstruação e nos dias que se seguem, já que o útero e Sangue estão na sua fase mais frágil.
Mulheres com uma pré-condição de Vazio de Yang são mais susceptíveis a invasões de frio e deverão tomar precauções acrescidas.





Excesso de trabalho ou doença prolongada

Excesso de trabalho físico ou doença crónica levam a deficiência de ambos Qi e Sangue, resultando numa má nutrição dos Vasos Chong Mai e Ren Mai e não permitirá a força necessária ao movimento do Sangue na menstruação, gerando dor.


Excesso de actividade sexual ou partos

O excesso de actividade sexual, início da actividade sexual prematuramente, um elevado número de partos ou intervalo pequeno entre eles são factores que enfraquecem os Rins e Fígado.
Da mesma forma que o ponto anterior, Rins e Fígado enfraquecidos falham em nutrir convenientemente os Vasos Chong Mai e Ren Mai, resultando em dor.


Diagnóstico de Dismenoreia em MTC

Para o diagnóstico da MTC é necessário saber:
- Manifestação da dor em relação à menstruação (antes, durante ou depois)
- Características e localização da dor;
- Duração do ciclo menstrual e aspecto do sangue;
- Melhoria ou agravamento da dor sob pressão
- Melhoria ou agravamento da dor com aplicação de frio ou calor.




Exemplos:

Plenitude / Excesso:
Ocorre antes e durante o período menstrual e piora sob pressão. A dor é mais intensa, tipo facada e ocorre dos dois lados do abdómen inferior (meridiano do Fígado).

Vazio / Deficiência:
Ocorre após o período menstrual e é aliviada pressionando a área. A dor é do tipo moinha e, normalmente, manifesta-se na região lombar e sacral.

Frio no útero:
Manifesta-se como cãibra e é aliviada com aplicação de calor, o sangue é vermelho, com pequenos coágulos escuros.

Calor no sangue:
Manifesta-se por ardor e é agravada pelo calor, o ciclo menstrual apresenta-se curto, o período pesado e o sangue vermelho-brilhante.


Diferenciação de Síndromes segundo a MTC

Do ponto de vista da MTC, a dor pode ser provocada por um quadro de excesso, que obstrui a abertura e o livre fluxo da menstruação, que se manifesta em: 
Estagnação de Qi
Estase de Sangue
Plenitude de Frio
Humidade-calor no Aquecedor Inferior
Estagnação do Qi do Fígado que se transforma em Fogo; 

Ou pode ser provocada por um quadro de deficiência, manifestando-se em:
Deficiência de Qi e Sangue
Deficiência de Yang e Sangue
Deficiência de Yin do Rim e do Fígado


Estagnação de Qi

Sintomas:
Dor 1 a 2 dias antes ou durante o período, fluxo escuro sem coágulos, sensação de distenção abdominal e mamária, tensão pré menstrual ou irritabilidade. Língua de coloração normal ou com bordos ligeiramente avermelhados.
Se houver debilidade de Sangue a língua poderá estar pálida. Pulso tenso (rugoso se predominar a debilidade de Sangue do Fígado)

Princípios Terapêuticos: Regular o Qi, dissipar a estase de sangue, aliviar a dor.


Estase de Sangue

Sintomas:
Dor intensa tipo facada antes ou durante a menstruação, sangue menstrual escuro com coágulos grandes, inquietação mental, dor que alivia após eliminação dos coágulos, língua púrpura e pulso fino.

Princípios Terapêuticos:
Tonificar o Sangue, eliminar a Estase e parar a dor.


Estagnação de Frio no Útero

Dor no abdómen tipo facada, antes ou durante o período, fluxo escasso, cor púrpura e escuro com pequenos coágulos, aversão ao frio, membros frios, dores generalizadas, sensação de plenitude no abdómen e peito, face pálida, língua arroxeada com capa branca gordurosa e húmida, pulso profundo, lento ou profundo e tenso.

Princípios Terapêuticos:
Aquecer os meridianos, dispersar o frio, eliminar a humidade-frio para dissipar a estase e aliviar a dor.

Princípios terapêuticos:
Aquecer o útero, expelir o frio e nutrir o Sangue.


Humidade-Calor no Aquecedor inferior

Humidade-Calor que ataca e segue o meridiano Chong e Ren Mai, causando bloqueio do Qi e do Sangue.

Sintomas:
Dor hipogástrica antes da menstruação ou a meio do ciclo, sensação de queimadura que se estende ao sacro, sensação de calor, sangue menstrual vermelho com coágulos pequenos, leucorreia, urina escura e em pouca quantidade, sede, inquietação mental, língua vermelha com capa amarela pegajosa e pulso deslizante.

Princípios terapêuticos:
Aclarar o Calor, resolver a Humidade, eliminar a estase sanguínea e aliviar a dor.


Estagnação de Qi do Fígado que se transforma em Fogo

O Qi estagnado há muito tempo transforma-se em calor.

Sintomas:
Dor abdominal antes ou durante o período, sangue menstrual escuro com muito fluxo, irritabilidade, propensão para explosões de raiva, sede, sensação de calor, fezes secas. A língua é vermelha com capa amarela e bordos vermelho vivo. O pulso é rápido e tenso.

Princípios terapêuticos:
Aclarar calor através da regulação do Qi do Fígado.


Deficiência de Qi e Sangue

Uma deficiência constitucional do Qi e Sangue ou um consumo do Qi e do Sangue devido a uma doença severa e prolongada, pode resultar numa má circulação do sangue. O sangue em deficiência pode tornar-se estagnado, e como o Chong Mai está vazio existe uma falta de nutrição ao útero e a dor aparece provocando dismenorreia.

Sintomas:
Dor tipo moinha na zona hipogástrica no final ou após a menstruação, sensação de peso no abdómen inferior, dor que diminui com a pressão e massagem, fluxo escasso, tez pálida, astenia, tontura ligeira, fezes soltas, língua pálida e pulso rugoso.

Princípios terapêuticos:
Tonificar Qi e Baço-Pâncreas, Nutrir o Sangue.

Deficiência de Yang e Sangue

Na altura da menstruação, o Yang do Baço-Pâncreas e o Sangue do Fígado (em deficiência) não suportam as actividades normais acrescidas da libertação do fluxo, originando sintomas relacionados a estas duas substâncias e dor.

Sintomas:
Dor abdominal tipo moinha após a menstruação, fluxo escasso e pálido sem coágulos. A dor alivia com pressão e aplicação de calor. Cefaleia tipo moinha, visão turva, sensação de frio generalizado, depressão, tonturas. Língua pálida e inchada, pulso fino e profundo. 


Princípios terapêuticos:
Aquecer o Yang, nutrir o Sangue, fortalecer o centro e parar a dor.

Vazio de Yin de Rim e Fígado

Dor hipogástrica tipo moinha no final ou após a menstruação, dor lombar, tonturas, pouco fluxo menstrual, dor que alivia com pressão e massagem, zumbidos, visão turva, exaustão. Língua sem capa e vermelha se houver calor-vazio, Pulso flutuante e vazio.

Princípios terapêuticos:
Tonificar o yin, beneficiar os Rins e nutrir o Fígado.




Artigo escrito por Sara Venda e Joana Prata

Bibliografia:

Obstetrics an Gynecology in Chinese Medicine (second edition), Giovanni Maciocia.