Dismenorreia

A palavra dismenorreia, de origem grega, significa menstruação difícil.

Dismenorreia ou dor menstrual, refere-se a dor ou outro desconforto principalmente na zona do baixo abdómen, mas podendo também incluir a zona lombar, sacro, anca e coxas, quer ocorra antes, durante ou depois do período menstrual, e que ocorra sempre periodicamente com o ciclo menstrual.

Tanto a Medicina Ocidental (MO) como a Medicina Tradicional Chinesa (MTC) diferenciam a dismenorreia.


A MO designa como dismenorreia primária as dores menstruais comuns, que surgem como uma consequência de fenómenos naturais, fisiológicos, associados à menstruação.
Esta começa geralmente, na menarca, com o início dos ciclos ovulatórios e não é associada a nenhuma desordem orgânica. É provocada por aumento na produção de prostaglandina pela camada que reveste o útero: endométrio.
A prostaglandina é uma substância hormonal produzida a partir do estímulo da progesterona, a hormona que predomina na segunda fase do ciclo reprodutivo feminino, depois da ovulação.
O excesso de prostaglandina durante o período menstrual provoca fortes contracções do útero, que é um músculo. 
Ao contrair-se, o útero pressiona os vasos sanguíneos à sua volta, dificultando o fornecimento de oxigénio aos tecidos.
A dor é resultado da falta de oxigénio no útero.
O excesso de prostaglandina afeta outros órgãos e é por isso que a cólica menstrual é frequentemente acompanhada de outros sintomas como dor de cabeça, dor lombar, náusea e vómito, tontura e diarreia.
A queixa mais comum da dismenorreia primária é dor na parte inferior do abdómen, de natureza cólica e com irradiação para a parte inferior das costas.

A dismenorreia secundária, pode surgir em qualquer período da vida da mulher em idade fértil e pode estar associada a doenças orgânicas, em geral, ou associada a algum distúrbio nos órgãos reprodutores femininos, tais como ovários, anexos uterinos ou o próprio útero, podendo originar o aparecimento de um problema de saúde na mulher (endometriose, mioma uterino, doença inflamatória pélvica, etc.).


Medicina Ocidental

O tratamento da MO para dismenorreia primária e secundária consiste em:
  • Medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios não-esteroides, como por exemplo o Ibuprofeno, Paracetamol ou Ácido acetil salicílico, que atuam bloqueando a produção de prostaglandinas tendo efeito contra a dor e a inflamação;
  • Medicamentos antiespasmódicos, como o Atroveran ou o Buscopan, por exemplo, para diminuir as cólicas menstruais;
  • Pílulas anticoncepcionais hormonais, em alguns casos. 

Medicina Tradicional Chinesa


Importância do Qi e Sangue do Fígado na menstruação

Para que a menstruação ocorra normalmente, o Sangue do Fígado deve ser abundante e este deve mover-se adequadamente.
Uma boa circulação de sangue depende de um livre fluir do Qi do Fígado e do Qi do Chong Mai (também conhecido por Vaso penetrante, um dos oito vasos extraordinários).

Na fase pré-menstrual, o Yang sobe e o Qi do Fígado move-se, em preparação para a movimentação do Sangue.
Assim, uma circulação apropriada do Qi e Sangue do Fígado são essenciais para uma menstruação indolor.
Se o Qi do Fígado estagnar pode causar dor, especialmente antes da menstruação, enquanto a estase de Sangue do Fígado pode causar dor durante a menstruação.
A estagnação é o principal factor patológico presente em menstruações dolorosas e mesmo em condições de deficiência, em que a dor é ligeira, há uma componente de estagnação envolvida.

Em alguns casos, a estagnação de Qi do Fígado pode transformar-se em Fogo do Fígado e este, por sua vez em Calor no Sangue, que se combina frequentemente com Humidade-Calor no útero; noutros, a estagnação de Qi pode ser resultado de invasão de frio no útero.

Importância dos factores emocionais

A tensão emocional é um dos factores etiológicos a considerar na dismenorreia. A raiva, frustração, ressentimento, preocupação e a culpa podem levar à estagnação de Qi do Fígado. Esta, por sua vez provoca estase de Sangue no útero levando a menstruações dolorosas.


Invasão externa de Frio e Humidade

Uma exposição excessiva ao Frio e à Humidade, especialmente durante a puberdade, pode permitir uma invasão de Frio no útero.
O Frio contrai e causa estase de Sangue no útero, causando dor. Esta é a causa mais frequente de dismenorreia na adolescencia.

Na idade adulta, as mulheres devem precaver-se contra o a invasão de Frio e Humidade durante a menstruação e nos dias que se seguem, já que o útero e Sangue estão na sua fase mais frágil.
Mulheres com uma pré-condição de Vazio de Yang são mais susceptíveis a invasões de frio e deverão tomar precauções acrescidas.





Excesso de trabalho ou doença prolongada

Excesso de trabalho físico ou doença crónica levam a deficiência de ambos Qi e Sangue, resultando numa má nutrição dos Vasos Chong Mai e Ren Mai e não permitirá a força necessária ao movimento do Sangue na menstruação, gerando dor.


Excesso de actividade sexual ou partos

O excesso de actividade sexual, início da actividade sexual prematuramente, um elevado número de partos ou intervalo pequeno entre eles são factores que enfraquecem os Rins e Fígado.
Da mesma forma que o ponto anterior, Rins e Fígado enfraquecidos falham em nutrir convenientemente os Vasos Chong Mai e Ren Mai, resultando em dor.


Diagnóstico de Dismenoreia em MTC

Para o diagnóstico da MTC é necessário saber:
- Manifestação da dor em relação à menstruação (antes, durante ou depois)
- Características e localização da dor;
- Duração do ciclo menstrual e aspecto do sangue;
- Melhoria ou agravamento da dor sob pressão
- Melhoria ou agravamento da dor com aplicação de frio ou calor.




Exemplos:

Plenitude / Excesso:
Ocorre antes e durante o período menstrual e piora sob pressão. A dor é mais intensa, tipo facada e ocorre dos dois lados do abdómen inferior (meridiano do Fígado).

Vazio / Deficiência:
Ocorre após o período menstrual e é aliviada pressionando a área. A dor é do tipo moinha e, normalmente, manifesta-se na região lombar e sacral.

Frio no útero:
Manifesta-se como cãibra e é aliviada com aplicação de calor, o sangue é vermelho, com pequenos coágulos escuros.

Calor no sangue:
Manifesta-se por ardor e é agravada pelo calor, o ciclo menstrual apresenta-se curto, o período pesado e o sangue vermelho-brilhante.


Diferenciação de Síndromes segundo a MTC

Do ponto de vista da MTC, a dor pode ser provocada por um quadro de excesso, que obstrui a abertura e o livre fluxo da menstruação, que se manifesta em: 
Estagnação de Qi
Estase de Sangue
Plenitude de Frio
Humidade-calor no Aquecedor Inferior
Estagnação do Qi do Fígado que se transforma em Fogo; 

Ou pode ser provocada por um quadro de deficiência, manifestando-se em:
Deficiência de Qi e Sangue
Deficiência de Yang e Sangue
Deficiência de Yin do Rim e do Fígado


Estagnação de Qi

Sintomas:
Dor 1 a 2 dias antes ou durante o período, fluxo escuro sem coágulos, sensação de distenção abdominal e mamária, tensão pré menstrual ou irritabilidade. Língua de coloração normal ou com bordos ligeiramente avermelhados.
Se houver debilidade de Sangue a língua poderá estar pálida. Pulso tenso (rugoso se predominar a debilidade de Sangue do Fígado)

Princípios Terapêuticos: Regular o Qi, dissipar a estase de sangue, aliviar a dor.


Estase de Sangue

Sintomas:
Dor intensa tipo facada antes ou durante a menstruação, sangue menstrual escuro com coágulos grandes, inquietação mental, dor que alivia após eliminação dos coágulos, língua púrpura e pulso fino.

Princípios Terapêuticos:
Tonificar o Sangue, eliminar a Estase e parar a dor.


Estagnação de Frio no Útero

Dor no abdómen tipo facada, antes ou durante o período, fluxo escasso, cor púrpura e escuro com pequenos coágulos, aversão ao frio, membros frios, dores generalizadas, sensação de plenitude no abdómen e peito, face pálida, língua arroxeada com capa branca gordurosa e húmida, pulso profundo, lento ou profundo e tenso.

Princípios Terapêuticos:
Aquecer os meridianos, dispersar o frio, eliminar a humidade-frio para dissipar a estase e aliviar a dor.

Princípios terapêuticos:
Aquecer o útero, expelir o frio e nutrir o Sangue.


Humidade-Calor no Aquecedor inferior

Humidade-Calor que ataca e segue o meridiano Chong e Ren Mai, causando bloqueio do Qi e do Sangue.

Sintomas:
Dor hipogástrica antes da menstruação ou a meio do ciclo, sensação de queimadura que se estende ao sacro, sensação de calor, sangue menstrual vermelho com coágulos pequenos, leucorreia, urina escura e em pouca quantidade, sede, inquietação mental, língua vermelha com capa amarela pegajosa e pulso deslizante.

Princípios terapêuticos:
Aclarar o Calor, resolver a Humidade, eliminar a estase sanguínea e aliviar a dor.


Estagnação de Qi do Fígado que se transforma em Fogo

O Qi estagnado há muito tempo transforma-se em calor.

Sintomas:
Dor abdominal antes ou durante o período, sangue menstrual escuro com muito fluxo, irritabilidade, propensão para explosões de raiva, sede, sensação de calor, fezes secas. A língua é vermelha com capa amarela e bordos vermelho vivo. O pulso é rápido e tenso.

Princípios terapêuticos:
Aclarar calor através da regulação do Qi do Fígado.


Deficiência de Qi e Sangue

Uma deficiência constitucional do Qi e Sangue ou um consumo do Qi e do Sangue devido a uma doença severa e prolongada, pode resultar numa má circulação do sangue. O sangue em deficiência pode tornar-se estagnado, e como o Chong Mai está vazio existe uma falta de nutrição ao útero e a dor aparece provocando dismenorreia.

Sintomas:
Dor tipo moinha na zona hipogástrica no final ou após a menstruação, sensação de peso no abdómen inferior, dor que diminui com a pressão e massagem, fluxo escasso, tez pálida, astenia, tontura ligeira, fezes soltas, língua pálida e pulso rugoso.

Princípios terapêuticos:
Tonificar Qi e Baço-Pâncreas, Nutrir o Sangue.

Deficiência de Yang e Sangue

Na altura da menstruação, o Yang do Baço-Pâncreas e o Sangue do Fígado (em deficiência) não suportam as actividades normais acrescidas da libertação do fluxo, originando sintomas relacionados a estas duas substâncias e dor.

Sintomas:
Dor abdominal tipo moinha após a menstruação, fluxo escasso e pálido sem coágulos. A dor alivia com pressão e aplicação de calor. Cefaleia tipo moinha, visão turva, sensação de frio generalizado, depressão, tonturas. Língua pálida e inchada, pulso fino e profundo. 


Princípios terapêuticos:
Aquecer o Yang, nutrir o Sangue, fortalecer o centro e parar a dor.

Vazio de Yin de Rim e Fígado

Dor hipogástrica tipo moinha no final ou após a menstruação, dor lombar, tonturas, pouco fluxo menstrual, dor que alivia com pressão e massagem, zumbidos, visão turva, exaustão. Língua sem capa e vermelha se houver calor-vazio, Pulso flutuante e vazio.

Princípios terapêuticos:
Tonificar o yin, beneficiar os Rins e nutrir o Fígado.




Artigo escrito por Sara Venda e Joana Prata

Bibliografia:

Obstetrics an Gynecology in Chinese Medicine (second edition), Giovanni Maciocia.