Síndrome do ovário poliquístico

O síndrome do ovário poliquístico (SOP) é uma patologia endócrina que causa um dos desequilíbrios hormonais mais frequentes em mulheres em idade reprodutiva (aproximadamente 5-10% das mulheres em idade reprodutiva).



Os sintomas

As pacientes apresentam oligovulação ou anovulação (ovulação irregular ou ausência de ovulação), que resulta em menstruação irregular ou amenorreia, infertilidade associada a às alterações na  ovulação, e ovários poliquísticos; excesso de actividade androgénica, que pode produzir acne e hirsutismo; e resistência à insulina, geralmente associada à obesidade e diabetes tipo II.


Embora a causa da síndrome permaneça desconhecida, as evidências mostram a disfunção de diversos mecanismos fisiológicos, como a resistência à insulina juntamente com uma desordem em quatro compartimentos endócrinos: ovários, glândulas supra-renais, pele e tecido adiposo, eixo hipotálamo-hipofise. A evidência sugere que a síndrome é complexa, envolvendo múltiplos sistemas fisiológicos.



A síndrome pode tornar-se aparente antes ou durante a puberdade, altura em que os sintomas podem incluir o de desenvolvimento prematuro de pêlos púbicos, hiperinsulinémia, e os níveis elevados de moléculas precursoras que podem ser convertidos aos androgeneos.



Após a puberdade, os sintomas podem incluir raros ou ausentes ciclos menstruais, infertilidade e sinais de níveis de excesso de androgeneos, incluindo hirsutismo (excesso de pêlos no corpo da linha média) e acne.



Como as mulheres são afectadas com a irregularidade menstrual e excesso de androgeneos, envelhecer pode ser menos de um problema, visto que estes sintomas muitas vezes vão melhorando após os 40 anos de idade. Na verdade, o diagnóstico da síndrome é difícil fazer depois do início da menopausa porque as mulheres afectadas apresentam uma grande variedade de sinais e sintomas.
Acredita-se que a síndrome não é um, mas vários sintomas diferentes. Não se atribui uma causa genética, embora a síndrome possa apareçer em várias mulheres da mesma família.



A existência de SOP é confirmada pela relação LH/FSH, a qual deve ser maior que 2 (normalmente é 1,5:1), e é tratável com medicação, alterações de dieta e exercício.











SOP vista pela Medicina Tradicional Chinesa

Em MTC, a SOP corresponde a diferentes doenças como infertilidade, períodos escassos, menstruações abundantes com perdas prolongadas, menstruações irregulares, e apresenta as seguintes manifestações:

-  amenorreia ou períodos escassos,
- períodos irregulares,
- hirsutismo,
- obesidade
- infertilidade.

A SOP pode ter origem no stress emocional sendo a raiva - principalmente quando reprimida -, a frustração, o ressentimento e o ódio, que podem levar à estagnação de qi do Fígado e, a longo prazo, à estase de sangue.
O meridiano do Fígado executa um mecanismo importante no movimento do Qi no abdómen inferior, e, nas mulheres, o sangue do Fígado executa um papel importante na circulação de sangue nesta área.






Os padrões principais presentes na SOP são:
- fleuma que obstrui o útero e ovários,
- deficiência do qi do Rim – yang do R,
- estase de sangue se os quistos são palpáveis e as menstruações dolorosas,
- humidade-calor no canal do Fígado,
- deficiência de sangue (se as menstruações são escassas e há infertilidade),
- fogo do Fígado.

Segundo Maciocia, os padrões mais importantes são a fleuma no Útero e a deficiência do Rim, sendo fundamental abrir e regular os Vasos Extraordinários para resolver estas condições.

Artigo realizado por Sara Finote.