Suplementos para melhorar a Espermatogénese

A espermatogénese é o processo de formação de espermatozoides a partir de células precursoras chamadas de espermatogónias.
É um processo no qual ocorre a formação dos gametas masculinos, ou seja, os espermatozoides. Este processo ocorre nos túbulos seminíferos dos testículos – órgãos reprodutores masculinos – onde as espermatogónias transformam-se em espermatozóides, ao ritmo de milhões/dia.


Este processo compreende quatro fases sucessivas: multiplicação, crescimento, maturação e diferenciação. O processo ocorre de modo contínuo desde a puberdade até ao fim da vida do indivíduo.

Os testículos, órgãos reprodutores externos, ovóides, ficam no interior das bolsas escrotais e mantêm uma temperatura um pouco abaixo da temperatura normal do corpo, fundamental para a produção de espermatozóides viáveis.
Nos testículos são encontrados milhares de tubos finos e novelados, tubos seminíferos, onde se localizam as espermatogónias (2n)


Fase de multiplicação:
As células germinativas, espermatogónias, sofrem mitoses sucessivas. Estas células diplóides (2n = 46) localizadas na periferia dos tubos seminíferos entram em proliferação desde a puberdade até ao fim da vida do indivíduo.

Fase de crescimento:
As espermatogónias aumentam de volume, devido à síntese e acumulação de reservas necessárias para a meiose. As células resultantes designam-se espermatócitos I ou espermatócitos de 1ª ordem.

Fase de maturação:
Cada espermatócito I (2n = 46) passa por uma primeira divisão nuclear meiótica, dita “reducional”, por reduzir a metade o número de cromossomas. Resultam da primeira divisão duas células haplóides (n = 23), os espermatócitos II, nas quais cada cromossoma tem dois cromatídeos (ver meiose). Da segunda divisão, dita “equacional”, resultam quatro células haplóides, os espermatídeos, com um só cromatídeo por cromossoma.


Fase de diferenciação ou espermiogénese:


Os espermatídeos sofrem uma transformação em células altamente especializadas, os espermatozóides. Durante esta última fase os espermatídeos perdem grande parte do citoplasma por fagocitose das células de Sertoli e os organelos citoplasmáticos sofrem uma reorganização: o complexo de Golgi forma uma vesícula, o acrossoma, que armazena enzimas digestivas com função de facilitar a penetração do gameta no óvulo, e que se adapta ao núcleo; os centríolos dispõem-se no pólo oposto ao acrossoma e um deles origina os microtúbulos do flagelo; as mitocôndrias dispõem-se na base do flagelo e fornecem a energia que permitirá o movimento do mesmo. O núcleo do espermatozoide é o local onde os cromossomas paternos ficam armazenados

No final desta fase os espermatozóides são libertados para o lúmen dos túbulos seminíferos e daí para os epididímos, onde termina a sua maturação, ganhando mobilidade e capacidade de fertilização. Posteriormente, os espermatozóides são transportados para os canais deferentes, misturando-se com as secreções das vesículas seminais e da próstata e formando o esperma, que é libertado no decurso de uma ejaculação.



Definição e causas de Infertilidade 

O Que é a Infertilidade

Segundo a Associação Portuguesa de Fertilidade, a Infertilidade pode ser definida como a incapacidade de concepção após um ano de relações sexuais não protegidas (6 meses se a mulher tiver mais de 35 anos de idade), ou a incapacidade de manter uma gravidez até ao seu termo. Estima-se que 1 em cada 10 casais sofra de infertilidade.
Causas da infertilidade e factores de risco
Vários são os factores relacionados com a redução dos níveis de fertilidade. Cerca de um terço das causas está associado ao homem e um terço a problemas na saúde da mulher. Podem ainda surgir causas que podem ser uma combinação de ambos, ou até não ser identificada a causa concreta.

Para detectar o motivo da infertilidade masculina é realizado o espermograma, exame em que se avalia o sémen. Na análise macroscópica, são observadas características como cor, odor, viscosidade, volume e PH. Na microscópica, identificam-se concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides. Dessa forma, o espermograma pode permitir a identificação de problemas que levam à infertilidade masculina.


Um dos problemas mais comuns na produção de espermatozoides saudáveis é gerado no interior dos testículos: a alteração da temperatura local. Isso pode ocorrer devido a doenças como criptorquidia (posicionamento irregular dos testículos) e varicocele (varizes na região do escroto), além de casos em que a permanência do homem em temperaturas ambientais elevadas altera a qualidade do sémen produzido. Os problemas da espermatogénese também podem ser provocados por orquite (inflamação aguda ou crônica testicular), ou doenças endócrinas que alterem a produção de hormonas hipofisárias que estimulam a produção de espermatozoides.




Por outro lado, existem processos infecciosos, tumores e malformações congénitas, que podem alterar a anatomia, ou obstruir os canais de transporte dos espermatozoides ao exterior. A obstrução total ou bilateral dos epidídimos e canais deferentes pode provocar infertilidade. Para alguns destes casos, a cirurgia de correção é a solução para a infertilidade.


Espermatogénese na Medicina Chinesa

A explicação da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) para o desenvolvimento sexual e reprodução destaca a importância do Jing Shen  (essência ancestral do Rim), que tem dois significados: substâncias nutritivas e hormonas importantes para o desenvolvimento sexual e corporal, energia e substâncias secretadas pelo testículo (espermatozóides) e pelos ovários (ovulação).


Segundo a teoria dos Zang Fu (Órgãos e Vísceras) da Medicina Tradicional Chinesa, o Rim é o Zang (Órgão) responsável pelo desenvolvimento sexual e pela reprodução. Cada Zang Fu possui o seu Jing (quintessência energética). Todos os Jing dos Órgãos e Vísceras dirigem-se para o Rim para formar o Jing Shen. Este se dirige para a medula espinal e atinge o encéfalo. Desta forma, no dorso, ocorrem manifestações dos pontos Jing dos Zang (Órgãos), fundamentais para a fisiologia energética dos Órgãos internos e, no encéfalo, manifestação nas estruturas neurais, inclusive na atividade da hipófise anterior, onde são produzidos hormônios como LH, FSH e prolactina, relacionados com o desenvolvimento da libido, com a espermatogênese e com a ovulação.

Quando a energia do Rim está alterada ou quando existe Humidade por fraqueza do Baço/Pâncreas, podem ocorrer alterações na qualidade do sémen.
Em 1997 o Journal of Chinese Medicine publicou um artigo que definia a deficiência de Yin e Yang do Rim, ou deficiências do Rim que afectem o Fígado ou Baço/Pâncreas e que levem a estase de Qi e Sangue ou que levem a criar Humidade-Calor no Aquecedor Inferior. Mesmo que os sintomas indiquem somente Humidade-Calor ou estagnação de Qi e Sangue, normalmente existe sempre uma deficiência do Rim subjacente, que poderá até ser a causa dos padrões de excesso. Assim sendo, tonificando o Rim consegue-se melhoras na produção e aumento da qualidade e quantidade do esperma.


Suplementos Ocidentais

O dano oxidativo está presente em quase metade dos casos de baixa contagem de esperma. O fluido seminal contém altos níveis de antioxidantes, mas quando o desenvolvimento de esperma saudável torna-se prejudicado por causa de toxinas ambientais, stress ou agentes farmacêuticos, o fluido seminal irá conter níveis elevados de oxidantes. Para deter este processo e evitar mais danos dos radicais livres para o desenvolvimento do esperma, recomenda-se que exista um consumo elevado de antioxidantes.

Picnogenol
O Picnogenol é um flavonóide natural extraído da casca de Pinus maritima. O extracto de casca de pinheiro é uma fonte de compostos fenólicos e ácidos. Trata-se de um dos mais potentes fontes de antioxidantes bioativos. Picnogenol também melhora os efeitos de outros antioxidantes, daí que seja combinado com Vitaminas C e E.

Vitamina E

Vários estudos demonstram que a vitamina E pode ser o suplemento mais benéfico para a saúde do esperma. 1 g por dia (1000 iu) é recomendada para reduzir o stress oxidativo, que é altamente prejudicial para a espermatogénese.

Óleo de Peixe (Ómega-3)
O óleo de peixe rico em ómega-3 pode aumentar o fluido seminal e melhorar a morfologia espermática. Ómega-3 é encontrado em peixes gordos, como a sardinha e atum. Capsulas de Óleo de Figado de Bacalhau ou óleo de Salmãom são boas opções.

Astaxantina
Astaxantina é um pigmento carotenóide rosa-salmão, responsável pela cor dos salmões e dos flamingos que, ao contrário da maioria dos carotenoides, é de origem marinha. Tem um potencial anti-oxidante 10 vezes superior ao beta-caroteno e entre 80 a 550 vezes superiores à vitamina E, protengendo contra os danos oxidativos causados por radicais livres. Está associada ao aumento da mobilidade dos espermatozoides e contribui para o aumento da fertilidade.

Arginina
É um aminoácido essencial necessário para a espermatogénese. Estudos demonstram que dietas pobres neste aminoácido podem originar uma diminuição da contagem e mobilidade dos espermatozoides. Tem assim uma ação importante ao nível dou aumento da quantidade e mobilidade do esperma.

Zinco
O zinco encontra-se em elevadas concentrações nas glândulas sexuais do homem e no próprio esperma. Este é necessário para produzir a camada externa e a cauda do espermatozóide, sendo por isso essencial para produzir um esperma saudável. Com uma alimentação pobre em zinco, a concentração deste mineral nos testículos diminui para 1/3 do nível normal. Além disso, cerca de 1,4mg é perdido em cada ejaculação, por isso uma vida sexual intensa (nomeadamente nas inúmeras tentativas para engravidar) e uma dieta inadequada põem o homem em risco.

Folatos
Os homens que relatam níveis mais baixos de folatos nas suas dietas têm maiores taxas de alterações cromossômicas nos seus espermatozóides, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, Berkeley.

Selénio
Trata-se de um agente anti-oxidante, com capacidade de captar os radicais livres e de os neutralizar de forma a não causarem danos celulares e teciduais, protegendo os espermatozoides, mantendo assim uma boa contagem dos mesmos.



L-Carnitina
L-carnitina este aminoácido, encontrado em níveis muito elevados no esperma, transporta os ácidos gordos para a mitocôndria e auxilia a motilidade do esperma.

Erva-Moura Sonífera (Ashwagandha – Withania somnifera)
O tratamento com W. somnifera significativamente reduz apoptose (morte celular programada) e concentrações de radicais-livres e melhora as concentrações de iões metálicos em indivíduos inférteis. Concluiu-se que W. somnifera melhora a qualidade do esperma, reduzindo o stress oxidativo e morte celular e melhorar as concentrações de iões metálicos essenciais.

Tribulus terrestris
O Tribulus terrestris aumenta em 30% a produção de testosterona (em 5 dias), actua sobre a função reprodutora masculina, aumentando a espermatogénese e a mobilidade dos espermatozoides.





Medicina Herbal Chinesa

Tratamentos com Fitoterapia Chinesa podem ser utilizados para alcançar uma série de objectivos no que diz respeito a alterações na espermatogénese. A maioria dos casos de infertilidade masculina envolver algum elemento de deficiência do Rim, o qual pode ser tratado eficazmente com ervas tonificantes do Rim. Outros padrões energéticos e condições que melhoram com o tratamento herbal de MTC incluem o fortalecimento do Yuan Qi, um componente importante na saúde reprodutiva de um homem, uma vez que é considerada a base de toda a vida e função celular.

Outros objetivos específicos para o tratamento com ervas incluem:
·       Tonificação do Sangue.
·       Para aumentar a contagem espermática: Adicionar tónicos de Qi e Sangue e sementes tais como Lycium e Cuscuta.
·       Para aumentar a testosterona: Adicionar tónicos de Qi como Ginseng.
·       Para aumentar a mobilidade de espermatozoides: Adicionar Cornus officinallis para aumentar o Qi e Yang. 
·       Para aumentar a fluidez: Adicionar Asparagi, Ophiopogon ou tomar formula Liu Wei di Huang Wan para aumentar o Yin do Rim.


Gui Zhi Fu Ling Wan
Esta fórmula, que é tradicionalmente utilizada para tratar distúrbios ginecológicos de estase de sangue no útero, tem se mostrado muito promissora no tratamento de anormalidades no esperma morfológicas resultantes de varicocele.
Wuzi Yanzong Wan
Wuzi Yanzong Wan tem a capacidade de melhorar a espermatogénese, possivelmente através da modulação da expressão de proteínas secretoras das células de Sertoli.
Cornus Officinallis
Estudou-se os efeitos Cornus officinalis na mobilidade do esperma humano. Um extracto aquoso foi preparado a partir dos frutos secos da planta e utilizado no estudo. O extrato bruto mostrou efeitos estimulantes substanciais sobre a mobilidade dos espermatozóides.
Bu Shen Sheng Jing Wan
Oitenta e sete casos de infertilidade masculina foram tratados com Bu Shen Sheng Jing Wan. O resultado mostrou que esta fórmula teve uma função de regulação da FSH, LH, testosterona e cortisol (poderia trazer o nível da hormona aumentado ou reduzido de volta à faixa normal).
Ginseng
Ginseng é a primeira escolha na medicina chinesa para a fertilidade masculina e especialmente melhoria do desempenho sexual. Restaura a libido e trata a disfunção erétil e impotência. Tem sido comprovado o seu efeito no crescimento testicular, melhoria dos níveis de testosterona espermatogénese.
Gengibre                                                             
Um estudo demonstrou que o gengibre tem uma atividade antioxidante e androgénico e tem efeitos úteis sobre os parâmetros da espermatogénese e espermatozoides em ratos e tem efeito positivo no comportamento reprodutivo.
Estudo Promissor
Um estudo da Universidade de Tecnologia de Sidnei está a examinar os efeitos de ervas chinesas sobre a morfologia e mobilidade espermática até agora com resultados positivos. (aguarda publicação)


Artigo escrito por Renato Braz


Webgrafia:

Espermatogénese: O que é? www.brasilescola.com.br