Fragmentação do ADN Espermático e Infertilidade Masculina


Quando se fala de Infertilidade masculina a primeira aspecto que salta a mente é uma contagem de espermatozoides baixa. Mas acontece que por vezes a contagem dos espermatozoides pode estar dentro dos parâmetros de normalidade e ainda assim haver dificuldade do casal em engravidar.

A verdade é que existem outros parâmetros de avaliação dos espermatozoides que são igualmente importantes. Ter uma contagem espermática normal não significa que estes sejam de qualidade. Estes têm de ser capazes de se moverem (mobilidade) e de forma progressiva (progressão), o esperma tem de ter um pH compreendido entre 7.2 e 7.8, os espermatozoides não podem estar muito juntos (aglutinação) e a forma que estes apresentam (morfologia). Mas há um teste que raramente é aplicado e que é de suma importância para a fertilidade: o índice de fragmentação do ADN.



O que é a Fragmentação do ADN Espermático?
ADN é um composto orgânico cujas moléculas contêm as instruções genéticas que coordenam o desenvolvimento e funcionamento de todos os seres vivos e que transmitem as características hereditárias de cada ser vivo.

O seu principal papel é armazenar as informações necessárias para a construção das proteínas e RNA. Os segmentos de ADN que contêm a informação genética são denominados genes. O restante da sequência de ADN tem importância estrutural ou está envolvido na regulação do uso da informação genética. Do ponto de vista químico, o ADN é um longo polímero de unidades simples de nucleótidos, cuja cadeia principal é formada por moléculas de açúcares e fosfato intercalados unidos. Ligada à molécula de açúcar está uma de quatro bases nitrogenadas. A sequência de bases ao longo da molécula de ADN constitui a informação genética.
A Fragmentação do ADN ocorre quando existe uma alteração das bases nitrogenadas ou quando existe uma quebra numa ou em ambas as cadeias de ADN.

Altos níveis de fragmentação têm estreita relação com o insucesso gestacional.
Testes específicos mostram claramente que espermatozoides morfologicamente normais e móveis podem apresentar níveis altos de fragmentação do ADN. Valores acima de 20% não excluem a possibilidade de fertilização normal, desenvolvimento embrionário e uma gestação a termo, porém está associado com uma redução significante de gestação e aproximadamente o dobro de abortos. Portanto, indivíduos que apresentam o espermograma normal podem ser portadores dessa desordem, e por este motivo o estudo deste fenómeno tem sido incorporado na rotina clínica andrológica como um teste de função espermática.



O teste de Fragmentação do ADN Espermático
O método é baseado no teste de dispersão da cromatina do ADN espermático. A
etapa inicial segue com a utilização de solução ácida para a desnaturação do ADN dos espermatozoides com o ADN fragmentado. Em seguida, a solução de lise irá remover as proteínas nucleares, e na ausência de fragmentação no ADN produzirá nucleótidos com largos halos das alças do DNA dispersa. Entretanto, os nucleótidos dos espermatozoides com o DNA fragmentado não apresentam o halo disperso ou o halo é mínimo.
O resultado é apresentado através duma percentagem que traduz a quantidade de ADN fragmentado na amostra total. Um resultado superior a 30% é considerado baixo potencial para a fertilidade.

Causas da Fragmentação do ADN Espermático
A fragmentação do ADN nos espermatozoides pode ser causada por fatores internos, como a apoptose e a produção de radicais livres, ou por fatores externos, como dieta, uso de drogas, stress (por acúmulo de radicais livres), infeções, febre alta, temperatura testicular elevada, poluição, fumo, idade avançada, varicocele, diabetes, cancro (e tratamentos como quimioterapia ou radioterapia), obesidade (esta condição é mais comum em indivíduos com obesidade). Com exceção da idade, a exposição a estes fatores pode ser transitória, podendo haver uma melhoria da fragmentação do ADN com o decorrer do tempo.

Tratamento
O tratamento mais comum é por via de antioxidantes como a vitamina C e E, para controlar a ação de radicais livres e processos de oxidação antes do paciente se submeter ao tratamento de reprodução assistida ou também pode ser submetido a uma biópsia testicular onde se encontram espermatozoides com um menor índice de  fragmentação, para posterior fertilização.



Outras recomendações para reduzir fragmentação de ADN são:
·       Evitar sobreaquecer os testículos (telemóvel ou computador);
·       Terapia antitabágica;
·       Adotar uma dieta rica em antioxidantes;
·       Evitar medicação com cortisona;
·       Suplementação antioxidante.

Como pode contribuir a Medicina Chinesa?
O objectivo terapêutico da Medicina Tradicional Chinesa é melhorar a saúde do paciente, tendo em conta as suas dinâmicas emocionais, fisiológicas e energéticas. O foco não se prende em melhorar unicamente o índice de fragmentação do ADN, mas fazê-lo através do tratamento do ser humano como um todo, com o foco de melhorar a qualidade de vida e os hábitos.
Segundo a Medicina Chinesa, a fertilidade está relacionada com a energia dos Rins.
A função dos Rins como regulador do metabolismo da água na prática da Medicina Tradicional Chinesa relaciona-se intimamente com sua função na visão da medicina ocidental, mas sua influência tem um alcance muito maior. Os Rins são o local de armazenamento da essência vital (Jing), uma substância subtil responsável pelo crescimento, desenvolvimento, reprodução e fertilidade. Logo, esta energia relaciona-se com a vitalidade do organismo e a qualidade do esperma no homem.



Os rins são a fonte do Qi (Chi)  pré-natal, que é herdado dos pais e interpretado como a constituição inata de uma pessoa. Em última análise, a saúde e força dos rins é o fator determinante mais importante na vitalidade duradoura de uma pessoa e na sua longevidade. Os sintomas de desequilíbrio nos rins incluem dores lombares, infertilidade, impotência ou desejo sexual excessivo, problemas urinários, entre outros.

Uma boa analogia para entender este Qi é que quando somos fecundados herdamos geneticamente uma poupança de vitalidade para usarmos ao longo da vida. Se, ao longo da vida retiramos pouco desta "poupança", evitando excessos e desperdícios e, ainda depositarmos diariamente a "essência vital" abundante na natureza, a saúde e longevidade serão o prêmio. Mas, se a "esvaziamos" diariamente e, raramente repomos ou a enchemos, essa "poupança" vai-se esgotando rapidamente e a doença e envelhecimento desgastado, ocorrem.
Falta de sono, má alimentação, excesso de actividade sexual, medo excessivo, trauma, falta de ritmo circadiano, falta de ritmo sazonal são exemplos de maus hábitos que debilitam esta energia e tornam dificultada a fertilidade.
É este lesar da energia dos Rins que contribui, na ótica da Medicina Chinesa, para a fragmentação do ADN.



O diagnóstico energético da Medicina Chinesa precisa sempre de ser efectuado para melhor se aferir a abordagem terapêutica ideal para cada paciente. Mas em todo o caso, a acupuntura e a medicina herbal chinesa são ferramentas importantes para o tratamento da Infertilidade.

O tratamento para a Infertilidade deve ser um processo holístico em que o ser humano é tratado no seu todo. Acima de tudo é também um processo feito pelo casal, uma vez que a fragmentação de ADN do espermatozoides pode resultar em maior probabilidade de abortos espontâneos na gestação. Por isso, deve ser responsabilidade do paciente homem de se tratar quando o casal tenta gerar prole e tal se torna um processo demorado e custoso.

Fontes:

Artigo escrito por Renato Braz