Endometriose



Definição
A endometriose é uma doença ginecológica caracterizada pelo crescimento de tecido endometrial fora do útero. O endométrio é uma membrana que reveste internamente o útero e se for localizado fora da cavidade uterina é considerado endometriose.
Os locais onde pode ocorrer incluem os ovários, o revestimento da cavidade abdominal, a superfície dos órgãos internos, os ligamentos que sustêm o útero, as trompas, as cicatrizes cirúrgicas presentes no abdómen ou no revestimento interno da parede torácica, a superfície externa do intestino delgado e grosso, os ureteres, a bexiga e vagina.



O crescimento do tecido endometrial responde às hormonas femininas, quer ele se encontre dentro ou fora do útero, com o tempo há a tendência para se formarem aderências fibrosas, as quais podem obstruir ou interferir o funcionamento dos órgãos.

Etiologia
A ciência médica desconhece ainda as causas da endometriose, pode afetar qualquer mulher, desde a pré-menarca até ao período pós-menopáusico, embora incida principalmente na idade reprodutiva e em mulheres jovens
Estima-se que cerca de 10% a 15% das mulheres entre os 25 e os 44 anos sofrem de endometriose
Fatores adicionais associados ao aumento de incidência incluem gravidez tardia, anomalias do ducto mülleriano e mulheres com um útero anormal
Em pacientes com endometriose grave e distorção da anatomia pélvica normal, a incidência de infertilidade é alta porque ficam prejudicados os mecanismos de captação do óvulo e transporte tubárico.

Diagnóstico

As manifestações clínicas mais comuns são dor pélvica, massa pélvica, infertilidade e alterações menstruais, a dor menstrual (dismenorreia) é um sintoma importante.
O diagnóstico da endometriose baseia-se principalmente no historial clínico com base nos sintomas descritos e no exame físico.

Tratamento Ocidental
Não existe nenhum cura para a endometriose. O tratamento médico depende dos sintomas e da extensão da doença. O tratamento farmacológico tem como objetivo suprimir a atividade ovariana e retardar o crescimento do tecido endometrial fora do útero. São utilizados contracetivos orais, progestagénios, danazol e o antagonista da hormona libertadora de gonadotropinas (GnRH).
Se a classificação da endometriose está entre o moderado e grave, a cirurgia é o tratamento mais eficaz. No entanto, estas intervenções cirúrgicas apresentam um efeito temporário, visto que a endometriose volta a desenvolver-se na maioria das mulheres. Só a extração cirúrgica de ambos os ovários impede a recorrência da endometriose, uma vez que deixa de existir hormonas. Esta medida só é adotada quando a mulher não responde à medicação.


Medicina Tradicional Chinesa

Na Medicina Tradicional Chinesa, a endometriose é classificada por Tong Jing (Períodos dolorosos) porque a dismenorreia é o sintoma mais comum; e Zheng Jia (Massas abdominais), apesar das massas não serem palpáveis em muitos casos, é possível identificar a sua presença e implicação na caracterização da patologia.

Etiologia

Relações sexuais durante a menstruação
Toda a atividade sexual mobiliza o Qi do Rim porque é ele que governa os órgãos sexuais e a reprodução. Durante o período menstrual, o Qi e o Sangue estão a ser mobilizados nos meridianos Chong Mai e Ren Mai, os quais retiram a sua essência da energia do Rim. Quando a mulher tem relações sexuais durante a menstruação, o Qi do Rim fica enfraquecido, bem como o Jing e o Sangue, porque nesse período o Útero encontra-se num estado vulnerável devido às perdas de sangue.

Relações sexuais prematuras
No período púbere ou pré-púbere, o aparelho reprodutor feminino ainda está numa fase de amadurecimento, assim, o Útero encontra-se num estado vulnerável e a relação sexual prematura pode originar uma estase de Sangue no Útero, para além do enfraquecimento do Rim.

Excesso de atividade física
A atividade física excessiva esgota o Qi e o Sangue

Frio externo
 O Frio contrai os tecidos ocorre um bloqueio imediato na circulação de Qi e Sangue e pode causar a longo prazo o aparecimento de massas e tumores. O Útero é propenso à invasão de Frio patogénico, especialmente na fase menstrual, após a gravidez e na puberdade. Este Frio pode ser devido à exposição ao frio, ingestão de bebidas geladas ou praticar atividades em ambientes frios e húmidos.

Uso de tampões
Os tampões absorvem o sangue menstrual e por isso podem bloquear o processo natural de eliminação de sangue e provocar estase.

Stress emocional
As emoções influenciam a fisiologia do sistema reprodutor da mulher. O stress decorrente das emoções afeta diretamente o Útero e o seu funcionamento.

Dieta irregular
Uma dieta desequilibrada ou irregular perturba o funcionamento normal do organismo. A Humidade-Mucosidade é um agente patogénico presente em muitas condições de endometriose. A Humidade tem uma tendência para descer e concentrar-se no aquecedor inferior.



Emoções
Um dos fatores etiológicos presentes em muitas patologias é precisamente o estado emocional. O Útero tem uma relação direta com o Rim, o Chong Mai e o Ren Mai. Também é influenciado pelo Fígado, o Baço e o Coração. A todos estes órgãos e meridianos estão atribuídas características emocionais as quais influenciam o seu funcionamento e podem ter influência no Útero feminino. As alterações emocionais afectam a fisiologia da menstruação e também da reprodução. Na endometriose, há a presença de massas o que indica uma estagnação emocional.

Hereditariedade
Há que considerar também o terreno hereditário ou a constituição do ser humano, pois indica a tendência para certos desequilíbrios e doenças.


Patologia

Estase de Sangue

A estase de Sangue é um padrão que está sempre presente na endometriose. A aparência da endometriose é de cor roxa, vermelho-roxa ou azul-roxa, o que indica estase de Sangue. O sintoma mais comum é a dor durante o período menstrual.
Este padrão está relacionado com Útero. Pode ser a causa da infertilidade feminina porque a estase de Sangue provoca um bloqueio local e por isso impede a implantação do óvulo no útero.

Deficiência do Rim

Na endometriose é evidente o padrão de deficiência do Rim, isto é explicado pelo fato do aparelho reprodutor feminino ser controlado pela energia do Rim, o que significa que a condição deste órgão pode implicar um processo patológico e resultar na infertilidade consequente da endometriose.

Frio, Humidade e Fleuma

Na endometriose, para além da estase de Sangue, pode existir uma estagnação de outros fatores patogénicos no Útero como Frio, Humidade ou Fleuma. Estes podem obstruir o Útero e prejudicar a circulação de Qi e Sangue da mesma forma que a estase de Sangue, provocando os sintomas característicos da endometriose. A presença destes fatores patogénicos no Útero debilita o Rim.


Diagnóstico

O diagnóstico diferencial da MTC permite identificar os padrões ou síndromes que caracterizam uma patologia através da recolha dos sinais clínicos
Na endometriose, a causa provém da deficiência de Sangue ou do Rim (Yin ou Yang), enquanto a manifestação está relacionada com a estase de Sangue, Frio, Humidade, Humidade-Calor ou Humidade-Mucosidade. Os órgãos diretamente afetados são o Fígado, o Baço, o Rim e o Útero.

Tratamento

A MTC dispõe de vários métodos terapêuticos para o tratamento das patologias como a fitoterapia, a acupunctura, a moxabustão, a dietética e a massagem. A  combinação de várias técnicas é mais eficaz pois permite abordar de maneira sinérgica os princípios terapêuticos estabelecidos para o tratamento.
A fitoterapia atua essencialmente na regulação dos Zang Fu e na eliminação dos fatores patogénicos endógenos.

A acupunctura é indicada para estabelecer o equilíbrio entre o Yin e o Yang e regular a circulação de Qi e Sangue nos meridianos. Alguns autores sugerem a utilização dos meridianos maravilhosos no tratamento da endometriose porque estes desempenham um papel importante na regulação do sistema reprodutor.

A moxabustão pode ser utilizada como complemento terapêutico quando o diagnós-tico indica a presença de frio ou estase de Sangue. O aquecimento facilita na dispersão do Frio, melhora a circulação de Qi e Sangue, revigora o Yang Qi e alivia a dor.

A dietética pode colmatar uma carência nutricional, mas também pode suplementar uma forma de Qi que o nosso organismo não consegue transformar, para a MTC o alimento tem um aspeto qualitativo, é uma «energia vital» ou uma forma específica de Qi.

O Qigong, o Taichi e o Yoga, são utilizadas como coadjuvante no tratamento de inúmeras doenças. Estudos comprovam que a prática regular de exercícios físicos com técnicas de respiração, meditação, visualização aumentam a resistência a doenças e a vitalidade, facilitam na recuperação da saúde, previnem o stress, a astenia e tensões, estimulam o sistema cardiorrespiratório, melhoram a oxigenação dos tecidos e circulação, aumentam a confiança e a autoestima, produzem o relaxamento, a flexibilidade e a força musculares, aliviam as dores e contribuem para o bem-estar e o aumento da qualidade-de-vida.

Na MTC, o Qigong é uma ferramenta médica e terapêutica que pode ser tão eficaz como a acupunctura e a fitoterapia. Podem ser prescritos exercícios para eliminar as toxinas decorrentes da estagnação, revigorar o Yang Qi, reforçar o Rim, melhorar a circulação de Qi e Sangue no Chong Mai, Ren Mai e Dai Mai e acalmar a mente. É preciso educar o paciente na melhor maneira de combinar as técnicas de respiração, visualização e movimento intencional para produzir os efeitos desejados.


Tratamento com Matéria Médica Ocidental


O uso tradicional das plantas medicinais para aliviar os sintomas ginecológicos é muito antigo. Na endometriose, o tratamento fitoterapêutico inclui diferentes categorias de plantas medicinais: espasmolítico, hemostático, tónico uterino, normalizador hormonal e sedativo. A combinação das plantas medicinais e a sua posologia dependem dos sintomas e da extensão da doença.


Plantas medicinais utilizadas no tratamento da endometriose
       Bolsa-de-Pastor (Capsella bursa pastoris) – possui uma ação hemostática e tónica da musculatura lisa uterina.
       Cimicifuga (Cimicifuga racemosa) – possui uma ação hormonal, inibindo a secreção da hormona luteinizante, e antiespasmódica.
       Cohosh-azul (Caulophyllum thalictroides) – é um tónico uterino com ação espasmolítica.
       Noveleiro (Viburnum opulus) – ação sedativa e espasmolítica uterina.
       Anho-casto (Vitex agnus-castus) – ação hormonal, inibindo a secreção da hormona folículo-estimulante, espasmolítica e emenagoga.
       Inhame (Dioscorea villosa) – apresenta um efeito relaxante e antiespasmódico da musculatura uterina.
       Melissa (Melissa officinalis) – efeito sedativo e relaxante muscular.
       Camomila (Matricaria recutita) – possui uma atividade anti-inflamatória, espasmolítica e sedativa.


Diferenciação de síndromes

ESTASE DE SANGUE DO FÍGADO
Principais sintomas
     Dor forte tipo «facada» antes ou durante o período que é aliviada com a expulsão de coágulos, sangue menstrual escuro ou arroxeado com coágulos grandes, possíveis massas duras palpáveis no abdómen inferior, irritabilidade, língua arroxeada, pulso tenso, em corda ou rugoso.
Princípios terapêuticos
     Resolver a estase, ativar o Sangue, acalmar o Fígado e aliviar a dor.

ESTAGNAÇÃO DE FRIO
Principais sintomas
     Dor forte durante o período que é aliviada com o calor, sangue menstrual escasso e vermelho-vivo, coágulos escuros, sensação de frio durante o período, língua arroxeada, pulso profundo e tenso ou profundo e em corda.
Princípios terapêuticos
     Aquecer o Útero, dispersar o Frio e ativar o Sangue.

RETENÇÃO DE HUMIDADE
Principais sintomas
      Dor antes do período ou a meio do ciclo com inchaço e sensação de peso, leucorreia, sangue menstrual com coágulos pequenos, língua com capa branca espessa, pulso deslizante.
Princípios terapêuticos
     Drenar a Humidade e resolver a estase.

RETENÇÃO DE HUMIDADE-CALOR
Principais sintomas
     Dor antes do período ou a meio do ciclo, ardor, inchaço e sensação de peso, corrimento vaginal escuro e com cheiro intenso, sangue menstrual com coágulos pequenos, urina escassa e escura, língua com capa amarela espessa, pulso deslizante e rápido.
Princípios terapêuticos
     Drenar a Humidade, resolver a estase e eliminar Calor.

HUMIDADE-MUCOSIDADE NO ÚTERO
Principais sintomas
     Dores menstruais com sensação de peso e inchaço, leucorreia abundante, possíveis massas abdominais, obesidade, língua inchada com capa espessa mais pronunciada na raiz, pulso deslizante.
Princípios terapêuticos
     Drenar a Humidade, resolver a Mucosidade, mover o Qi e ativar o Sangue.

DEFICIÊNCIA DE YANG DO RIM
Principais sintomas
     Dores menstruais aliviadas com a pressão e o calor, retenção de líquidos e inchaço antes do período, sangue menstrual pálido, frio corporal, lombalgia, polaquiúria, língua pálida, pulso profundo e fraco ou fino e profundo.
Princípios terapêuticos
     Tonificar o Yang e ativar o Sangue.

DEFICIÊNCIA DE YIN DO RIM
Principais sintomas
     Dores menstruais tipo «moinha» mais no final ou após o período, dor aliviada com a pressão, menstruação escassa, lombalgia, língua vermelha, sem capa, pulso fino e superficial. 
Princípios terapêuticos
     Nutrir o Yin e reforçar o Rim.

DEFICIÊNCIA DE SANGUE DO FÍGADO
Principais sintomas
     Dor menstrual tipo «moinha» mais no final ou após o período, cansaço após o período, menstruação escassa, alterações de visão, formigueiro nos membros, língua pálida, pulso fino.
Princípios terapêuticos
     Nutrir o Sangue e fortalecer o Fígado.


Artigo escrito por Catarina Ramos com base nos trabalhos de Miguel Vieira e Vânia Santos no âmbito da disciplina de Ginecologia da ESMTC.