Infertilidade masculina


A infertilidade aumentou 4% desde os anos 1980.

Aproximadamente 40% dos problemas envolvidos com a infertilidade são devidos ao homem, 40% devido à mulher, e 20% resultam de complicações com ambos os parceiros.

Nos homens, a infertilidade é definida como a incapacidade de fertilizar o óvulo, enquanto que a esterilidade é definida como a falta de produção de esperma.
A fertilidade masculina depende de três factores:
- produção adequada de espermatozoides pelos testículos,
- desobstrução do trato seminal (permitindo passagem do esperma)
- contacto satisfatório com o óvulo.



A produção de espermatozoides

Demora cerca de três meses para que os espermatozoides para se desenvolvam completamente. E, na espécie humana, esta produção é instável (mesmo num homem muito fértil), o que torna o esperma humano especialmente susceptíveis aos efeitos ambientais.





Diagnóstico

É na visita ao médico (urologista/andrologista) que começa a avaliação da eventual infertilidade masculina. O médico começará com uma entrevista e um exame básico, que inclui:

- Um histórico médico e reprodutivo completo, juntamente com quaisquer cirurgias que tenham existido e medicamentos administrados.
- Questões de estilo de vida, incluindo exercício, tabagismo e uso de drogas
- Exame físico
- Discussão franca sobre a vida sexual, incluindo anteriores doenças sexualmente transmissíveis

Em qualquer avaliação para a infertilidade masculina, o homem terá de fornecer uma amostra de sémen para análise (espermograma). É importante que esta análise seja realizado o mais rápido possível.

Métodos de Avaliação ocidentais
A maioria das avaliações de infertilidade para homens incluem uma análise do sémen – espermograma, exame físico, avaliação hormonal e teste genético.

Espermograma

A análise laboratorial de contagem de espermatozoides, motilidade e morfologia são os principais parâmetros que medem a capacidade de um homem ser pai de uma criança. No entanto, a qualidade do fluido seminal, liquefação, e a capacidade do esperma para ser inserido dentro da vagina são parâmetros importantes, se um par está tentando conseguir uma gravidez naturalmente.
O espermograma é um exame de grande importância na avaliação da fertilidade masculina e em caso de alteração espermática é necessário pedir, pelo menos, dois testes com intervalo de três meses (este é o período necessário para o nascimento de uma nova família de espermatozoides).

Categorias para a avaliação de espermatozoides:

- adequados
- aspermia (ausência de ejaculação)
- azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen)
- oligospermia (densidade de espermatozoides reduzido)
- motilidade fraca (movimento para a frente danificado)
- morfologia (elevada percentagem de espermatozoides anormais)
- anti-corpos anti-esperma

Factores Ambientais – produção de espermaozoides
Se os valores encontrados no espermograma estiverem dentro dos intervalos normais, deve tomar-se em conta, alguns medicamentos ou factores ambientes que podem alterar temporariamente a qualidade do sémen.
As principais causas da produção de espermatozoides de fraca qualidade estão relacionadas com:
–Tabaco;
–Álcool;
–Exercício físico excessivo;
– Cafeína;
–Consumo de substâncias psicotrópicas;
–Stress;
–Exposição a substâncias tóxicas;
–Vibração excessiva;
–Defeitos genéticos;
Alterações hormonais;
Infecções.




Exame Físico
O exame físico deve, idealmente, ser realizado por um urologista/andrologista e pode detectar complicações como varicocele e dar pistas para problemas hormonais.

Avaliação Hormonal

Para além da testosterona, várias outras hormonas controlam a produção de espermatozoides. No entanto, a disfunção hormonal não é a principal  incidência nos homens inférteis (apenas 3% dos casos).





Testes Genéticos
Os testes genéticos podem identificar certos obstáculos à fertilidade, assim como problemas com o esperma.

Condições associadas à infertilidade masculina
Podem ser divididas entre:
- problemas pré-testiculares (associados ao sistema endócrino ou outros sistemas)
- produção deficiente de espermatozoides ao nível testicular
- problemas no caminho destes espermatozoides até à ejaculação.

Causas pré-testiculares

São provocadas por alterações externas ao sistema reprodutor masculino. Cestas disfunções provocam alterações hormonais e interferem no funcionamento do testículo (por exemplo o hipotiroidismo , diabetes, alguns tumores como o da hipófise, os adenomas, prolactinomas, doenças sistêmicas do fígado, rins, e problemas congênitos como as síndromes de KALLMANN e PRADER WILLIE).

Existem ainda drogas e medicamentos que interferem na produção dos espermatozoides, como o uso de esteroides anabolizantes, usados por alguns culturistas e atletas.

Causas Testiculares

São doenças do testículos propriamente ditas: Inclui a varicocele (dilatação das veias do plexo pampiniforme e veias espermáticas situadas ao redor dos testículos semelhantes a varizes, substâncias tóxicas, criptorquidia (testículos fora da bolsa) e problemas genéticos.

Causas Pós-testiculares


São causas obstrutivas que impedem a saída de espermatozoides na ejaculação. São as obstruções do canal deferente (ducto que transporta os espermatozoides do testículo para o exterior), problemas de ejaculação, disfunção sexual e ejaculação retrógrada.





Outras causas

É importante conhecer os antecedentes da puberdade do paciente. Muitas doenças poderão influenciar a fertilidade como a papeira, diabetes, traumas, torção de testículos ou infecções anteriores.

‘Causas desconhecidas’ representam 25% das causas de infertilidade masculina.

Os anticorpos anti-esperma

Em certos casais, os anticorpos anti-esperma podem também ser um factor na redução da fertilidade. Podem ser produzidos por qualquer um dos parceiros e, em ambos os casos, os anticorpos atacam o esperma como se fossem invasores externos perigosos, matando-os antes que eles possam alcançar o óvulo.




A fertilidade e a idade do homem
Um homem anteriormente fértil pode tornar-se estéril devido a doenças ou problemas ocorridos ao longo da vida. Além disso, o próprio envelhecimento provoca alterações que geram redução da produção de espermatozoides e de esperma (andropausa), da mesma forma que ocorre com a mulher, na época conhecida como menopausa. Entretanto, a menopausa ocorre em torno dos 40 ou 50 anos, ao passo que a redução da fertilidade masculina ocorre a partir dos 70 anos de idade. No entanto, os homens a partir desta idade não devem ser considerados inférteis, pois é-lhes possível gerar um filho, uma vez que basta um único espermatozoide (desde que tenha forma e mobilidade adequados) para fecundar um óvulo.


Tratamento (Medicina Ocidental)
O tratamento da infertilidade masculina depende da causa subjacente. São geralmente necessários vários meses (ou anos) de tratamento para atingir a fertilidade. Envolve, na maioria das vezes, ambos os parceiros.

As causas da infertilidade masculina são mais fáceis de diagnosticar com métodos ocidentais do que as da infertilidade feminina. No entanto são mais difíceis de tratar.
Em casos de obstrução mecânica, a única solução possível é a cirurgia. Felizmente, novas técnicas de micro-cirurgia possibilitam reparar obstruções ou outros problemas.


Em casos de má produção ou baixa qualidade do esperma, há algumas mudanças na dieta e estilo de vida que podem ajudar. No entanto, quando se trata de alterações hormonais, a medicina ocidental tem pouco a oferecer.(suplementação com testosterona, FSH, LH, ou outras hormonas que raramente melhoram significativamente a produção de espermatozoides).

A obstrução do trato reprodutivo
O tratamento dos homens que têm uma obstrução nos ductos que transportam o esperma dos testículos até a ejaculação (de modo que o esperma não consegue sair) pode passar por cirurgia para corrigir a obstrução.
Se não for bem sucedida, uma outra opção é a reprodução assistida usando espermatozoides recuperados dos testículos.

Vasectomia 

A vasectomia (esterilização masculina) é um tipo diferente de bloqueio. A vasectomia pode ser revertida em até 85 por cento dos casos. Mais de 50% dos casais pode conseguir a gravidez após a reversão da vasectomia. No entanto, quanto mais tempo tiver passado desde a vasectomia, menor a probabilidade de reversão da mesma e de recuperar a fertilidade.






Deficiência no hipotálamo ou hipófise
Nestes casos, é frequentemente administrado o tratamento com gonadotrofina coriónica.

Varicocele

É a dilatação de uma veia (como uma veia varicosa) no escroto. Muitos homens com varicocele tem uma baixa contagem de espermatozoides ou têm a morfologia do esperma anormal. A razão pela qual a varicocele afeta o esperma pode estar relacionada com uma temperatura anormalmente elevada nos testículos, o abastecimento deficiente de oxigénio ou má circulação sanguínea nos testículos.


Pode ser tratada cirurgicamente, cortando as veias ligadas à varicocele. Se a varicocele esteve presente durante um longo período de tempo pode causar danos irreversível não passíveis de recuperar cirurgicamente.



Não há tratamento para todos os casos de infertilidade masculina. Por exemplo, não há nenhum tratamento conhecido para situações em que as estruturas produtoras de espermatozóides dos testículos foram severamente danificados ou são anormais. Isto ocorre em homens com certas anomalias cromossómicas tais como a síndrome de Klinefelter.



A infertilidade masculina pela Medicina Tradicional Chinesa

Do ponto de vista chinês, as principais causas de infertilidade masculina assentam em duas grandes categorias:
Vazios ou debilidades: Qi do Rim, Qi ou Sangue gerais;
Condições de excesso: Qi do Fígado estagnado, Estase de Sangue ou Humidade-Calor nos órgãos pélvicos (Aquecedor Inferior).


Num artigo do Journal of Chinese Medicine indica-se que as principais causas da anormalidade do esperma são a deficiência de Yang do Rim, deficiência de Yin do Rim e a deficiência do Qi dos Rins que afeta o Fígado e o Baço e leva à estagnação do Qi e do Sangue ou à Humidade-Calor no Aquecedor Inferior.


Acupuntura e acupressão
A medicina ocidental oferece pouco em termos de assistência para problemas de fertilidade masculina causada por fatores hormonais.
A acupunctura tem-se mostrado útil para ajudar a equilibrar o sistema hormonal e restaurar níveis mais elevados de fertilidade nos homens.




Estudos
Um estudo realizado pela Faculdade de Acupuntura e Moxabustão na Universidade de Shangai relatou 35 casos de infertilidade devido a anormalidades no esperma que foram tratados apenas com eletro-puntura de baixa frequência.
Os resultados do estudo mostram uma melhoria nos sintomas de dor na região lombar, micção frequente, emissão seminal e nos vários parâmetros de avaliação do esperma.
A actividade e quantidade de esperma, qualidade do sémen e do meio espermatogénico (diminuição significativa da mucosidade e tempo de liquefação) também melhoraram. Igualmente importante, as hormonas sexuais foram normalizados da seguinte forma:
- 33,5% de melhoria em FSH
- 35,3% em LH
- 57,1% nos níveis de estrogênio
- 65,1% em testosterona


Num estudo israelita foram analisadas amostras de sémen de 16 homens sub-férteis tratados com acupuntura. A análise foi realizada antes dos tratamentos e um mês após. Os tratamentos foram administrados duas vezes por semana durante cinco semanas. Foram também analisadas as amostras de sémen de 16 homens sub-férteis não tratados, como um grupo de controle.
Nos homens tratados com acupunctura, as melhorias foram medidas em percentagem de viabilidade, percentagem de espermatozoides móveis totais por amostra, e integridade dos flagelos (cauda do espermatozoide). O índice de fertilidade do esperma aumentou "significativamente" após o tratamento de acupunctura.



Os tratamentos de acupunctura e acupressão devem ser baseados no padrão específico que está presente no paciente.


Tratamento com Fitoterapia

Como descrito acima, a maioria dos casos de infertilidade masculina envolvem algum elemento de vazio do Rim (Yin, Yang ou Qi), que pode ser tratado eficazmente com ervas que tonificam o Rim.
Diferentes estudos têm demonstrado que a fitoterapia que estabiliza a essência do Rim e tonifica Fígado e Rins melhora a motilidade dos espermatozoides.
A fitoterapia que tonifica o Yang do Rim diminui a impotência, fadiga, dor lombar, frequência urinária, e espermatorreia.

Estudo
Um estudo do Instituto de Acupuntura e Meridianos - Anhui College of TCM, Hefei, China - relatou que 87 casos de infertilidade masculina, com anomalias de sémen foram tratados com uma fórmula de fitoterapia.
Análise do sémen pós-tratamento mostrou que os parâmetros do esperma melhoraram em 83 dos 87 casos (mais de 95% dos casos).
No final do estudo, 49 das esposas dos homens tratados (56,32 por cento) estavam grávidas.




Artigo compilado por Joana Prata, com base no trabalho da disciplina 'Ginecologia e Andrologia' da ESMTC de Bruno Leite e informação dos sites: